Prefeitura Municipal de Aracaju/SE

Fração e Violão: alunos aprendem Matemática através da música

Olhos atentos e muita vontade de aprender. Assim estão os alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Olavo Bilac, localizada no bairro Cidade Nova. A turma composta por 20 alunos participa do projeto ‘Matemática e Música, Fração e Violão: o mundo em pedaços', idealizado pelo professor Minho-San-Liver, na unidade que é mantida pela Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) por meio da Secretaria Municipal da Educação (Semed).

Uma vez por semana, o encontro é garantido. São 50 minutos de aprendizado, diversão e música, em uma aula sobre frações matemáticas diferente das tradicionais. O projeto busca desenvolver no aluno a leitura das frações para que a transição da aritmética para álgebra seja de fácil entendimento.

"A ideia surgiu a partir da minha inquietude com Matemática. Eu observo que existe uma ruptura da aritmética para álgebra quando os alunos saem para o Fundamental Maior. Essa ruptura se dá na fragilidade do estudo dos números racionais. Eu noto que eles têm dificuldade de entender o que é todo, a parte, de como isso se distribui. Quanto mais se fortalece o estudo das frações, melhor será o entendimento dessas crianças no futuro", explica o idealizador do projeto, Minho-San-Liver.

Ellen Maria Santos Melo tem 11 anos de idade e espera melhorar o desempenho em sala de aula. "Eu sinto um pouco de dificuldade com Matemática, diferentemente de outras matérias. Por isso, decidi fazer parte do projeto. Além disso, gosto muito de música. Eu canto na igreja que frequento, então é uma forma de melhorar a voz e fazer uma apresentação bonita para o pessoal", conta.

Para a coordenadora da Escola, Graça Azevedo, a iniciativa também fortalece a comunicação entre os alunos. "Essa é uma forma lúdica de ensinar fração, através das notas musicais. A aula se torna mais atraente e alegre. Os alunos passam a se comunicar melhor, eles interagem mais. A gente sabe que na maioria das vezes, o estudante não gosta de Matemática, acha a matéria chata, e a nossa obrigação é encontrar uma forma de tornar a coisa mais simples", afirma

Disposição

O projeto está na fase inicial. Por enquanto, apenas 20 alunos, do 4º e 5º ano do Ensino Fundamental participam das aulas, mas o objetivo é estender a toda a comunidade escolar. "A maioria da turma estuda pela manhã, mas vem à tarde para participar do curso. Muitos deles chegam até mais cedo. É impressionante o interesse da garotada. Estamos esperançosos com o resultado. A ideia é que durante os passeios escolares e também na formatura de fim de ano esses alunos toquem para os demais coleguinhas", acrescenta.

A proposta foi bem recebida por Brenda Raine Santos de Assis, 13 anos de idade. De acordo com ela, essa é a oportunidade que faltava para dar os primeiros passos na arte de tocar e cantar. "Eu amo a música. Quando soube do projeto, fiquei muito feliz até porque minha mãe não tem condições de pagar um curso para mim. Aqui estou aprendendo a tocar e também melhorar na Matemática, e isso é muito bom", declara.

Ainda de acordo com o professor e músico Minho-San-Liver, a satisfação está estampada no rosto das crianças e isso está sendo gratificante. "Quem me conhece sabe que sou um sonhador. Meus alunos sabem que sou um professor cheio de nuances e com vínculos afetivos. Contribuir com o crescimento deles é maravilhoso. Espero no futuro, levar esse projeto para outras escolas por entender que ele tem uma força muito grande", destaca.