Prefeitura Municipal de Aracaju/SE

Edvaldo Nogueira: ´O desafio é continuar crescendo com qualidade de vida´

Aracaju vive um clima de otimismo e prosperidade jamais visto nos últimos tempos. O ciclo de desenvolvimento com inclusão social iniciado a partir de 2001 começa a se consolidar e a apresentar excelentes resultados. Esse bom momento se reflete na melhoria dos indicadores da saúde e da educação, na satisfação popular com os serviços públicos, nas melhorias feitas nos espaços de esporte e lazer como o Parque Augusto Franco (Sementeira), na construção de 14 praças em diversos bairros e na implantação da Farmácia Viva.

A forte presença da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) no cotidiano da população levou a capital sergipana a conquistar o posto de melhor qualidade de vida do Brasil, segundo levantamento do Globo Repórter. Os dados do Ministério da Saúde ganharam destaque nacional na última edição do programa, que apresentou ao país o combate ao sedentarismo com o Programa Academia da Cidade e os investimentos em quase 40 km de ciclovias. "A preocupação da administração de fazer o crescimento vinculado à qualidade de vida desde o primeiro momento foi fundamental nesse processo", afirmou o prefeito Edvaldo Nogueira.

Agência Aracaju de Notícias (AAN) - Foi uma surpresa o ranking do Ministério da Saúde que aponta Aracaju como a capital com melhor qualidade de vida do país?

Prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira - Surpresa de todo não. Aracaju já era a capital de melhor qualidade do Norte e Nordeste desde 2005, em pesquisa feita pela FGV [Fundação Getúlio Vargas], e vínhamos num processo de melhoria cada vez mais dos serviços. A nossa meta de dar continuidade aos avanços da administração de Marcelo Déda, na qual participei ativamente como vice-prefeito, e melhorarmos todos os índices nos fez passar para a capital brasileira com melhor qualidade de vida. O que me chamou atenção foi que essa conquista ocorreu mais rápido do que imaginava. A tendência de Aracaju, pela maneira como vínhamos conduzindo a administração nos últimos dois anos, num esforço de continuidade e melhoria, era que algum dia chegasse a esse patamar. Só o tempo foi mais rápido do que o previsto.

AAN - Quais as obras, ações e investimentos nos últimos anos que ajudaram Aracaju a conquistar essa marca?

Edvaldo - Principalmente os investimentos em saúde. Só no ano passado investimos 18,7% da receita corrente líquida da Prefeitura nesse setor, sem incluir saneamento básico e obras. Se somarmos tudo, corresponde a 33% de todo o orçamento do município, o que representa mais de um 1/3 dos recursos públicos. Pulamos de 64 para 128 equipes de saúde da família; construímos 15 novas Unidades de Saúde da Família (USF), e ainda reformamos as restantes, totalizando 45 postos; temos 98% de cobertura do SUS e outro dado relevante: um milhão de cartões SUS numa cidade com 520 mil habitantes. Além disso, implantamos o Programa Academia da Cidade que atende mais de 5 mil cidadãos em 15 bairros; e melhoramos significativamente o trânsito. Realizamos campanhas educativas para estimular o respeito à faixa de pedestres, a calçada livre, e a diminuição velocidade para 60 km. Isso ajuda na qualidade de vida e diminui os acidentes.

AAN - Que outras ações se destacam?

Edvaldo - Também investimentos em ciclovias, - passamos de 5 km para 40 km -; limpeza pública, que é um dos serviços mais bem avaliados pela população e apresenta padrão de qualidade similar nas zonas nobres e menos favorecidas; estimulamos o PAR [Programa de Arrendamento Residencial] para levar a casa própria à classe média baixa; assim como os programas geração de emprego e renda; e, acima de tudo, estamos cuidando da cidade. A preocupação da administração de fazer o crescimento vinculado à qualidade de vida desde o primeiro momento foi fundamental nesse processo. Perseguimos isso, não foi uma coisa aleatória. Todas as nossas ações, em qualquer segmento, combinavam quatro fatores: a ética, com o dinheiro público bem aplicado; a democratização, com a participação da sociedade nas decisões através com o orçamento participativo; a aplicação de métodos de gestão modernos e eficientes; e a realização de obras e serviços voltados para a melhoria da qualidade de vida da população. O desafio para o futuro é Aracaju continuar crescendo com qualidade de vida. Lutamos para chegar aonde chegamos e vamos continuar trabalhando ainda mais para não perder o ranking.

AAN - Esses dados, amplamente divulgados nacionalmente, devem acelerar o processo de migração para Aracaju. Como a Prefeitura está se preparando para garantir um crescimento com qualidade de vida?

Edvaldo - Esse é o nosso desafio. Estamos nos preparando, fazendo um planejamento do ponto de vista do crescimento da cidade, acompanhando as discussões sobre o Plano Diretor e o desenvolvimento urbano, e interferindo diretamente no sentido de preparar a cidade para um crescimento sustentável, pensando em ações, serviços e obras para o futuro. O nosso objetivo é evitar que a Prefeitura corra atrás do prejuízo, tentando se antecipar aos problemas, fazendo com que o planejamento urbano, o desenvolvimento econômico e o crescimento da cidade sejam planejados com antecedência para que as pessoas que cheguem tenham um certo caminho a percorrer. Antes a ocupação era feita de maneira desordenada, aleatória, e depois era que chegava o saneamento, a macrodrenagem, o posto de saúde. Nosso esforço é chegar sempre antes.

AAN - O levantamento do Ministério da Saúde se baseou em indicadores como: menor número de fumantes e de pessoas com excesso de peso; maior consumo de hortaliças e prática de exercícios físicos. Aracaju aparece bem em todos. Qual a contribuição do poder público nesse processo?

Edvaldo - Temos 98% de cobertura do SUS [Sistema Único de Saúde]. Muitas vezes aparece uma crítica ou outra à saúde, mas as pessoas não vêem que esse trabalho de ter o dobro das equipes de saúde da família amplia o contato direto com a sociedade, faz o monitoramento dos problemas, ajuda a formar consciências, mudar práticas, construir hábitos mais saudáveis. Outro dado importante são as campanhas de prevenção e de vacinação que temos feito constantemente, com índices de participação muito altos. Isso ajuda efetivamente que a população de baixa rende tenha acesso à informação. E a cidade em si também proporciona isso com as ciclovias, a academia da cidade, a ampliação das áreas verdes e a melhoria do Calçadão da 13 de Julho e do Parque da Sementeira, que favorecem a prática de caminhadas e de atividades físicas. Há toda uma política de elevação da qualidade de vida, desde a obra que acaba com a palafita na Coroa do Meio, até os investimentos em saneamento, drenagem, pavimentação e limpeza pública. Quando se mexe na infra-estrutura e se cria uma cultura saudável, é possível ajudar a melhorar esses índices. Acho até que o fato de Aracaju ter melhorado nos últimos anos a auto-estima também vem favorecendo a saúde e a dignidade das pessoas, ampliando a possibilidade de exercício da cidadania.

AAN - A preservação de velhas tradições em alguns bairros, como o cultivo de plantas medicinais e o hábito de conversar com nas calçadas, também tem ajudado esses indicadores, prefeito?

Edvaldo - Ajuda. E ajuda tanto que a Prefeitura está retomando agora - embora numa escala maior - o projeto da ´Farmácia Viva´. Inauguramos duas casas de bambu na Sementeira, que é a sede desse projeto, e vamos começar a produzir as plantas medicinais neste mês de abril. A idéia é que consigamos produzir remédios fitoterápicos em escala industrial para levar ao posto de saúde. Vencendo essas etapas que estamos percorrendo na saúde, qual é o plano a médio prazo? É lavar práticas alternativas para as Unidades de Saúde da Família, tais como acupuntura, tai chi chuan, florais de bar, yoga e fitoterápicos. Queremos levar uma outra concepção da saúde que conviva harmonicamente com a prática alopática.

AAN - Há um clima de otimismo na cidade nunca visto antes. Que fatores explicam esse fenômeno? Isso tem influenciado o crescimento da aprovação à sua administração?

Edvaldo - Acho que tem. O crescimento da auto-estima e esse sentimento positivo em relação à cidade são fruto do que a Prefeitura de Aracaju tem feito nos últimos sete anos. Melhoramos significativamente a prestação dos serviços, as pessoas perceberam uma administração sem escândalos, o dinheiro público está sendo bem aplicado. Provamos que, quando se tem determinação e compromisso, é possível realizar uma administração que melhore a vida da cidade. É claro que tem problemas, mas as pessoas estão felizes com a cidade que têm. E obviamente a sociedade reconhece o esforço do administrador. A população é importante nesse processo, há uma simbiose entre a Prefeitura e a sociedade, que estão fazendo bem a sua parte. Por isso, percebemos esse clima de otimismo e o reconhecimento ao nosso trabalho. O apoio cada vez maior aos nosso governo é sinal que estamos atendendo as expectativas e cumprindo os compromissos assumidos publicamente.

AAN - Quais os grandes desafios ao assumir a administração iniciada por Marcelo Déda e os principais avanços desde então?

Edvaldo - Embora participasse ativamente das decisões, como Déda chegou a declarar recentemente nos jornais, e tenha dado uma contribuição efetiva como vice-prefeito e secretário de Governo, o maior desafio foi substituir o melhor prefeito da história de Aracaju, que realizou uma obra extraordinária em todos os setores. Não foi fácil, mas conseguimos nesses dois anos dar continuidade e ainda assim avançar em várias áreas, com obras, serviços, projetos e ações que estão mudando a face da cidade. A capital melhorou visivelmente e se melhorou é porque conseguimos dar continuidade às obras todas, fazer obras novas e agregar ainda mais qualidade aos serviços públicos. Esse ranking do Ministério da Saúde mostrou que conseguimos evoluir, com a construção do viaduto; os investimentos para reverter os maiores bolsões de pobreza que são o Santa Maria e o Coqueiral; a melhoria e modernização do trânsito com a implantação da bilhetagem eletrônica, a meia passagem aos domingos e feriados, os leads com temporizador nos sinais; o programa Direito de Aprender, que tem dado os primeiros resultados na melhoria da educação. Enfim, a sociedade está vendo o nosso esforço para substituir algo muito bom, continuando e melhorando os índices em várias áreas, e isso se reflete na melhoria da qualidade de vida.

Veja mais...

Serviços Urbanos colaboram com a qualidade de vida de Aracaju

Globo Repórter classifica Aracaju como a capital brasileira da qualidade de vida