Prefeitura investe R$2,6 mi na urbanização das "ruas dos poetas", no bairro Atalaia

Obras e Urbanização
14/05/2024 11h09

Garantir a infraestrutura de comunidades que se constituíram em locais sem urbanização é uma das prioridades da Prefeitura de Aracaju. Nesse sentido, de modo a proporcionar mais qualidade de vida, dignidade, justiça social e desenvolvimento urbano, a gestão municipal executa a urbanização da avenida Poeta Mário Quintana, das ruas Poeta Ronaldo de Carvalho, Poeta Carlos Pena Filho e Poeta Augusto dos Anjos e da travessa Monteiro Lobato - vias conhecidas como "ruas dos poetas", no bairro Atalaia, na zona Sul da capital.

A obra contempla a realização de terraplenagem, rede de drenagem, pavimentação asfáltica, pavimentação em concreto, meios-fios, acessibilidade e sinalização vertical e horizontal. Iniciado pelas ruas dos poetas, o serviço está na fase de construção da rede de drenagem pluvial, através da implantação das tubulações.

Nesse projeto, o município está investindo R$ 2.647.810,61, fruto do contrato de financiamento firmado pela Prefeitura de Aracaju junto ao Novo Banco de Desenvolvimento (NDB) que, no âmbito do programa ‘Aracaju Cidade do Futuro’, garante recursos para a realização de 23 obras estruturantes em toda a cidade, nos eixos de mobilidade urbana e infraestrutura.

O secretário municipal da Infraestrutura e presidente da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), Sérgio Ferrari, destaca a relevância e o poder transformador de intervenções deste porte.

“Obras estruturantes promovem não somente a melhoria das características físicas do espaço, acabando com a convivência com poeira e lama, mas também aumenta a autoestima da população, que passa a ter vontade de melhorar sua casa, talvez instalar um comércio e realizar outros sonhos na sua comunidade. A Prefeitura tem esse olhar atento às necessidades da população, tanto que, até agora, foram quase 60 obras estruturantes em toda a cidade já concluídas e mais 14 em andamento, incluindo a reestruturação da avenida Tancredo Neves. É um trabalho perene, que deixa um legado enorme para a cidade”, explica.