Ilé-Iwé 2024: Prefeitura realiza formação sobre o projeto com gestores escolares de Aracaju

Educação
27/05/2024 15h40

Na manhã desta segunda-feira, 27, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Educação (Semed), promoveu formação sobre o projeto Ilé-Iwé para os gestores das escolas da rede municipal e de municípios parceiros. O curso, realizado no auditório Antônio Vieira Neto, no bairro Siqueira Campos, teve por objetivo aprimorar as práticas de gestão escolar e fortalecer o desempenho das ações de valorização à cultura afro-brasileira e africana no ambiente escolar.

O momento formativo abordou a implementação, metas e mudanças do Ilé-Iwé 2024. O curso contou com a presença de parceiros do projeto, representantes da Universidade Federal de Sergipe (UFS), do Ministério Público Estadual (MP-SE), do Movimento Negro Unificado e da Secretaria de Estado da Educação (Seduc). O projeto também agrega municípios parceiros, como Nossa Senhora do Socorro, São Cristóvão, Laranjeiras e Barra dos Coqueiros, onde também haverá formação para os gestores.

A consultora para assuntos governamentais da Semed, Maria Antônia Arimatéia, afirma que a expectativa para o início do Ilé-iwé, neste ano de 2024, é grande, já que o projeto está sendo repaginado e agregando novos municípios. Segundo ela, as ações não serão promovidas somente na forma de oficinas e de encontros, mas também de intercâmbio de experiências e visitações.

"Estamos mobilizando as escolas para esta próxima etapa. O projeto Ilé-iwé já está na Educação de Aracaju desde 2018 e é muito significativo quando engajamos toda a rede para discutir, debater e pensar as questões étnico-raciais. Esta é uma base para que nossas crianças, adolescentes e adultos possam, cada vez mais, se compreender na formação da sociedade. E também uma possibilidade de aprendizado e reflexão para com o tema", pontua Antônia.

Gestora da Coordenadoria de Políticas Educacionais para a Diversidade (Coped), do Departamento de Educação Básica da Semed (DEB), Analice Marinho explica que este momento visa levar para os gestores escolares detalhes do projeto e como eles podem direcionar as ações do Ilé-iwé dentro do âmbito escolar. 

"Estamos aqui reunidos hoje para apresentar o Ilé-iwé e dialogar com nossos gestores escolares sobre o que é o projeto, orientando acerca de como pode ser a escolha dos professores que farão a formação em cada escola e mostrá-los que a iniciativa é para ser trabalhada da educação infantil ao ensino fundamental. Tivemos um grande número de inscrições ano passado e esperamos levar para os novos municípios que aderiram, como Laranjeiras e Barra dos Coqueiros, mais momentos enriquecedores de discussões dentro do tema", explana Analice.

A manhã contou com a palavra de representantes dos parceiros do projeto, como a do promotor Julival Rebouças, que atua como coordenador da promoção à igualdade étnico-racial (Copier) do MP/SE.

"Este projeto recebeu o prêmio Innovare em 2023, um dos mais importantes na seara jurídica do país. Isto fez com que, hoje, Sergipe estivesse no radar nacional e faz aumentar a nossa responsabilidade em relação a esta questão. Em 2024 ampliamos o projeto e Aracaju é a capitã do time, que coordena o Ilê-iwé. Agora, queremos motivar ainda mais os gestores a darem continuidade a este trabalho", evidencia o promotor.

O encontro também proporcionou um espaço para a troca de experiências e discussões sobre as melhores práticas e desafios enfrentados no dia a dia das escolas, especialmente no que diz respeito à promoção da diversidade e inclusão. Como coordenadora pedagógica na Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Olga Benário, localizada temporariamente no bairro Centro, Alessandro Félix demonstra-se entusiasmado com a formação e conta que será de bastante relevância para todos que estão inseridos na unidade de ensino.

"Há um mês atrás, a escola promoveu a visita de uma turma ao Quilombo da Maloca, em Aracaju. Na ocasião, uma das alunas se identificou com o local e disse 'eu queria morar aqui’, o que significa uma sensação de pertencimento a este povo, raiz e luta que devem ser mais valorizados. Por eu ser negro, também, fico feliz em ter um projeto voltado ao tema, em poder compartilharmos ideias e discutirmos como podemos agir", expressa Alessandro.

O projeto

A Educação de Aracaju tem se destacado na implementação do projeto Ilé-Iwé. A iniciativa tem como objetivo promover o reconhecimento e a valorização da diversidade cultural, contribuindo para uma educação mais inclusiva e representativa. Os temas são abordados com os alunos através de atividades pedagógicas, oficinas culturais e eventos temáticos.

O Ilé-Iwé também está alinhado com as diretrizes nacionais de educação para as relações étnico-raciais, conforme estabelecido pela Lei 10.639/2003, que torna obrigatório o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana nas escolas. A Semed Aracaju tem investido em capacitações contínuas para educadores, desenvolvendo materiais didáticos específicos e promovendo parcerias com instituições culturais e acadêmicas.

Em 2023, o projeto Ilé-Iwé conquistou o Prêmio Innovare. Foi a primeira vez que o MP sergipano venceu a maior premiação jurídica do país, concorrendo, na final, com os estados de São Paulo, Amazonas, Maranhão, Rio Grande do Sul, Pará, Sergipe, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Paraná e Distrito Federal.