Em parceria com a Unit, Prefeitura capacita professores da Educação Especial sobre leis e direitos

Educação
29/05/2024 18h14

Dando continuidade ao projeto direcionado à Educação Especial, fruto de parceria entre a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Educação (Semed), e a Universidade Tiradentes (Unit), nesta quarta-feira, 29, os universitários realizaram formação para professores da Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) Dom José Brandão de Castro.

Com alunos de diversas graduações, principalmente de Direito, o tema da formação foram os direitos das pessoas neurodivergentes, com o objetivo de ampliar o conhecimento sobre leis e iniciativas que apoiam e dão suporte à inclusão do público-alvo da Educação Especial não só na escola, mas em todas as esferas sociais.

Presente na formação, o coordenador de extensão da Unit, Heriberto Anjos, explica o planejamento. “Essa parceria com a Semed é feita através de um projeto de extensão, com o componente curricular chamado experiência extensionista, com alunos de diversos cursos, totalmente interdisciplinar. Primeiramente, os alunos foram até as escolas, fizeram um diagnóstico, entenderam quais eram as maiores necessidades da unidade e elaboraram projetos que foram apresentados para direção e coordenação. Agora, eles já estão na fase da intervenção, que é a aplicação de tudo aquilo que eles projetaram”, detalha.

Já realizados projetos sobre higiene bucal, teatro e de psicologia, Heriberto destaca o direcionamento de todo o projeto. “Sempre trabalhamos as emoções com as crianças e focamos nos neurodivergentes, pensando nas formas de tratar suas emoções. Hoje, nós temos alunos de direito que vão falar sobre os direitos dos neurodivergentes, como está a visão do direito e a constituição em relação a como se deve tratar esse público”, complementa o coordenador.

Um dos estudantes matriculados na disciplina extensionista, Matheus Vasconcelos, do curso de Direito, descreve sua apresentação para os docentes do Emei, que irá focar na neurodivergência e demais deficiências ocultas, trazendo o direito e o manual de autocuidado. 

“Primeiro, vamos explicar essas leis e falar sobre a necessidade de um diagnóstico e desses direitos. Eu busquei convenções, associações, leis e benefícios para explanar na formação e, dentre os direitos, nós temos o da prestação continuada, o de que pai ou mãe que é servidor público pode ter um horário especial e uma escala mais fácil, temos o direito à educação, a lei de apoio escolar, a carteira de identificação, entre outros.  Portanto, a formação vai ajudar o professor a entender quais são os apoios e suportes públicos para o público neurodivergente”, destaca o aluno.

Professora da Emei, Marcléia Santana, reconhece a palestra como muito importante e essencial para uma discussão mais aprofundada do tema. 

“O momento serve para que nós, professores e pais, também possamos divulgar tudo que é preciso saber sobre as leis que assistem os neurodivergentes. Asssim, saberemos como eles podem ser acolhidos pelas leis federais, estaduais e municipais. Portanto, uma formação como essa é de suma importância para toda a rede escolar e a comunidade como um todo. A Semed está de parabéns pelo projeto, nós estamos maravilhados com todas as informações”, declara a docente.