Fundat inicia cursos Pronatec nas unidades Jardim Esperança e Coroa do Meio

Formação para o Trabalho
12/03/2013 15h27

As novas turmas de capacitação profissional da Fundação Municipal de Formação para o Trabalho (Fundat), vinculadas ao Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), iniciaram os módulos de aprendizagem nas unidades Jardim Esperança e Coroa do Meio, nesta segunda-feira, 11. Os cursos ofertados são para os cargos de cabeleireiro, massagista e recepcionista, ministrados por instrutores do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), um dos representantes do Sistema "S".

A diretora operacional de cursos da Fundat, Maria do Socorro Melo, explica que o Pronatec tem o objetivo de ampliar a oferta de cursos profissionalizantes no país e, para isso, conta com órgãos executores no âmbito estadual e municipal.

"Nesse caso, em Aracaju, a Fundat atua na parte de gerenciamento dos cursos ao intermediar o contato com os responsáveis pela execução das aulas, acompanhar o processo de matrícula e participação dos alunos. A nossa missão é que seja disponível para o mercado uma mão-de-obra qualificada e preparada", explica. 

Segundo a presidente da Fundat, Glaúcia Guerra, o objetivo é que, a partir dos cursos de capacitação vinculados ao Pronatec, seja possível suprir a demanda de profissionais qualificados do mercado local. "A meta da atual gestão é preencher 15 mil postos de trabalhos por ano e a Fundat terá papel importante neste desafio ao estabelecer parcerias com programas e instituições voltadas para a qualificação e absorção desta nova mão-de-obra", explica.

Preparação

Para o conteúdo pedagógico, as aulas estão distribuídas em conhecimentos teóricos e experimentais, aproximando o aluno de uma efetiva prática do meio de trabalho. Como é o caso do curso de cabeleireiro, em que são oferecidas disciplinas que envolvem a dinâmica profissional da função.

"A intenção é promover a formação completa do aluno, abordando assuntos teóricos e práticos relacionados à competência profissional ensinada. Dessa forma, é fundamental trazer conhecimentos que envolvem a postura profissional e as relações interpessoais no ambiente de trabalho, estimulando o aluno a trabalhar em equipe e atender de forma satisfatória o cliente", diz a instrutora do curso, Sandra Valeria.

Além de aliar o conhecimento prático com o teórico, os cursos também já apresentam um conteúdo específico para a demanda de trabalho local. Segundo o instrutor do curso de recepcionista, Claudino Mikalauskas, o objetivo final é que a preparação do aluno esteja adequada com a necessidade do mercado para determinada função.

"No curso de recepcionista, por exemplo, os alunos adquirem conhecimentos de inglês instrumental, organização do trabalho e técnicas de recepção. Assim, eles estarão preparados para atuar em diversos locais, como hotéis e clínicas, assim como trabalhar em eventos e outras oportunidades da área", comenta o professor.

Satisfação

A chance de obter um emprego de carteira assinada é comemorada pelos alunos dos cursos. Este é o caso de Maria José de Jesus Brito, que atualmente está desempregada e deseja garantir uma nova recolocação no mercado. "É a chance que eu vejo para melhorar a renda de casa e ajudar ao meu marido com as despesas", confessa.

Já Ana Flávia, aluna do curso de recepcionista,  escolheu fazer o curso de recepcionista para se profissionalizar e reforçar os conhecimentos quem já tem da área. "Pretendo trabalhar na área, especificamente em clínicas e hospitais, mas acho importante ter uma boa qualificação antes de tentar a vaga", diz Ana Flávia.