Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Agência Aracaju de Notícias

Prefeitura de Aracaju zera filas de espera em procedimentos da saúde

02/08/18 17h09

O atendimento aos pacientes da rede de saúde pública municipal de Aracaju está passando por reformulações. O objetivo foi erradicar as filas de espera em diversos setores de atendimento, que a Prefeitura de Aracaju tem responsabilidade de gerir, e que chegaram a oferecer tempo de espera anual. Na última terça-feira, 31, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) acabou com a espera dos pacientes que precisavam fazer hemodiálise, tratamento que consiste em método de filtração do sangue por meio da utilização de um rim artificial e que sempre representou um grande problema na gestão municipal.

A única justificativa de espera que os pacientes terão a partir de agora para iniciar o tratamento é com a parte burocrática de cadastro e registro nos hospitais da capital. A documentação necessária é, hoje, o único empecilho que provoca demora no início da hemodiálise. Pacientes que sofriam em razão das longas esperas já estão sendo encaminhados para os hospitais. Agora, o setor aguarda novos pacientes, que poderão ficar esperando, todavia, aqueles mais antigos, foram retirados da ala de espera.
 
O esforço da gestão municipal atual e das clínicas contratadas foi fundamental para tirar os pacientes das filas. Uma conquista da Secretaria da Saúde, que contava com 39 pacientes no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) esperando pelo tratamento no início deste ano. “A gente fez uma limpeza dessas filas. Foi um trabalho interno intenso e dentro do sistema. A ideia era organizar ao máximo essas alas para dar celeridade ao processo das solicitações que chegavam até a rede. Aí, neste sentido, a gente reduziu muitas alas de espera e a fila começou a rodar melhor”, contou a diretora do Núcleo de Controle, Avaliação, Auditoria e Regulação (Nucaar), Tina Cabral.

Outro setor que também eliminou a espera por atendimento foi o da fisioterapia. Compreendendo procedimentos ortopédicos, neurológicos, neuropedriáticos e respiratórios, o âmbito fisioterápico manteve uma fila de cerca de duas mil pessoas por cinco anos. O tempo médio de espera era de três meses, em razão da alta rotatividade de pacientes que iniciavam novos tratamentos.

Tina Cabral reforça que o atendimento à população teve uma crescente considerável de 2017 para 2018 e, mesmo diante do aumento da procura, a Secretaria da Saúde conseguiu atender completamente em 24 procedimentos. "Comparando o primeiro semestre de 2017 e o primeiro semestre de 2018, a gente teve um aumento nas marcações em torno de 300 mil marcações a mais de um semestre para o outro. A gente tem um volume de marcação diária muito grande, já chegou ao número de 50 mil marcações dia. Não é a nossa média, mas é importante ressaltar este número, normalmente, são cerca de 30 mil por dia. Representa muito do ponto de vista de marcação", destaca.
 

Demais filas zeradas
 
Foi seguindo diretrizes internas para equalização das filas que a Prefeitura de Aracaju erradicou as alas de espera em outros setores. Foram 22 outros procedimentos que tiveram problemas de delonga solucionados: bera (exame auditivo em crianças e adultos); biópsia de próstata; cirurgia de catarata; consulta em cardiologia, em dermatologia, em geriatria, em ginecologia e em nefrologia; mamografia; mapeamento de retina; patologia clínica; punção de tireoide; raio-X de abdômen, de antebraço, de coluna, de crânio, de joelho, de sacro-coccix, e de sela túrcica; topografia computadorizada de córnea; tonometria e videolaringoscopia.