Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Agência Aracaju de Notícias

Teatro João Costa é palco de grandes artistas e berço de novas promessas

06/10/18 10h00

O Teatro João Costa faz parte do Centro Cultural de Aracaju, localizado na praça General Valadão. Mantido pela Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), unidade pertencente à Prefeitura Municipal de Aracaju, o local já recebeu diversas apresentações e vem tendo destaque entre os artistas.

O nome do teatro municipal é em homenagem a João Costa que, foi um professor de Português de várias escolas da rede pública e particular. Na Universidade Federal de Sergipe (UFS), atuou como professor do Departamento de Letras, e foi um dos precursores do teatro em Sergipe.

O espaço é adequado às dimensões de apresentações artísticas de tamanho menor, conhecidos popularmente como "Teatros de bolso". Tem capacidade para 100 pessoas, dois camarins, banheiros, cortinas e sonorização.

Para o coordenador de Ações do Teatro, Rosivaldo Alves, a Prefeitura vem contribuindo na formação dos artistas da cidade. "O João Costa, é um teatro pensado e feito para os artistas locais. Nosso teatro traz outro olhar, diferente dos outros teatros, ele é voltado para artistas que apenas estão começando, para que eles garantam a materialização da sua produção artística e cultural, dentro do seu lugar de trabalho, o palco", explica o produtor cultural, Rosivaldo.

Entre os artistas que passaram pelo palco do teatro, estão grandes nomes da música nacional, como Armando da Costa Macêdo "Armandinho", o mestre da guitarra baiana e do bandolim (filho do Osmar, um dos inventores do trio elétrico, da dupla Dodô e Osmar); Os Tabaréus, agrupação sergipana que mistura o Choro com ritmos nordestinos; e Lucas Campelo, sanfoneiro e educador musical, expoente da música de "Dominguinhos".

De acordo com o maestro Sérgio Teles, o Teatro João Costa é perfeito para apresentações de canto, e outras manifestações artísticas, porque possibilita uma sinergia positiva entre artistas e o público. "Este teatro tem uma peculiaridade muito interessante, ao ser um teatro de bolso permite fazer espetáculos muito mais intimistas e familiares, em relação à proximidade com a plateia. Isto facilita muito na hora da interpretação e da atuação".

O teatro municipal recebeu, ainda, obras teatrais internacionais como "Labirinto de Amor e Morte", e "O Pássaro de Papel", esta última inspirada num conto da escritora sergipana Aglaé Fontes - os dois espetáculos dirigidos pelo espanhol Moncho Rodirugez. E também palco da peça brasileira "Vidas secas", da Cia Caravan Maschera, inspirada na consagrada obra de Graciliano Ramos.

Quinta Instrumental

No cenário, todas as quintas-feiras acontece o "Quinta instrumental", um projeto da Funcaju que incentiva e divulga a música instrumental. O projeto é realizado sempre a partir das 20h, e a entrada é gratuita. Normalmente o espetáculo é de um artista local ou nacional, selecionado através de edital aberto pela Prefeitura. É um projeto de apoio e incentivo à cultura de Aracaju.

O tablado do João Costa foi palco do início da carreira musical do Quarteto Dissonante, que se apresentou durante o "Quinta Instrumental". "Gostei muito do teatro, porque é organizado e bem localizado, e conta com uma equipe profissional que dá o suporte necessário para o artista. Para nós, músicos, é muito bom contar com um espaço digno de apresentações", manifestou o violonista Rafael Oliveira de Freitas.

Como agendar

Um artista que deseja mostrar seu trabalho no teatro municipal, deve encaminhar um ofício à Funcaju, informando qual será o tipo de atividade. A fundação avalia que tipo de evento será realizado e a viabilidade e, em seguida, agendam a apresentação.