Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Cultura

Pilão de Pif promete uma apresentação cultural diferente na noite do Quinta Instrumental

09/10/18 18h03

De origem indígena, feito geralmente com bambu, o pífano ganha roupagens modernas e as novas gerações tratam de expandir as canções, mantendo sempre viva a matriz original. Em Aracaju, a banda Pilão de Pif, usa o pif como canto forte e existe desde 2003. Nesta quinta-feira, 11, o grupo se apresenta no Quinta Instrumental, projeto desenvolvido pelo planejamento estratégico da Prefeitura de Aracaju, por meio da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), com a expectativa de ocupar o centro histórico da capital sergipana com as diversas linguagens das artes.  

O Pilão de Pif é formado por Edmar Santos (pífanos), Aragão Santos (pífanos), Betinho Caixa D'Água (caixa e percussão), Michel de Paula (zabumba) e Ney (surdo e percussão). O grupo desenvolve um trabalho de pesquisa, preservação e atualização da arte ligada aos pífanos. Fazendo um som autenticamente nordestino e marcadas por fortes raízes culturais, as apresentações da banda se caracterizam pela energia constante e interação com o público.

Segundo o músico Betinho Caixa D`Água, participar do Quinta Instrumental é contribuir para a cultura instrumental, além de ser uma oportunidade única para a trajetória da banda. “Essa é a nossa primeira participação neste evento e acreditamos que o projeto é de muita valia para a cultura do nosso estado e é uma oportunidade para todos, pois abre portas para os grupos, dá visibilidade aos que já existem e incentiva novas formações”, destaca.

Betinho também enfatiza que levará ao Quinta Instrumental um repertório recheado de músicas autorais. “Será um repertório 99% autoral com músicas que, além de falar a linguagem do Pif, levaremos com as nossas músicas as batidas do folclore sergipano, assim como Taieira, São Gonçalo, Chegança e outros ritmos que fazem parte da nossa cultura sergipana e nordestina, além de uma pegada única da guitarra de Abraão Lucas Gonzaga, fazendo a harmonia junta ao Pif de Edmar Santos e a percussão de Ney Nascimento e Betinho Caixa D'água”, detalha.

O instrumentista aproveita para convidar o público para o show e promete uma apresentação que valoriza a cultura do pífano. “Estamos muito felizes por participar do Quinta Instrumental. Venham prestigiar esse projeto que oportuniza grupos instrumentistas a levarem sua arte ao mundo. Quem puder comparecer irá acompanhar de pertinho uma apresentação cultural diferente e especial”, finaliza Betinho Caixa D`Água.

O Quinta Instrumental é gratuito e acontece, às 20h, no palco do Teatro João Costa, no Centro Cultural de Aracaju, localizado na praça General Valadão.