Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Indústria, Comércio e Turismo

Semict e Emsurb promovem reunião com barqueiros da Orla Pôr do Sol

28/11/18 19h14

Na tarde desta quarta-feira, 28, o secretário municipal interino da Indústria, Comércio e Turismo (Semict), Ricardo Mascarello, recebeu representantes da Associação Sergipana dos Proprietários de Embarcações e Turismo (Aspetur), para tratar da organização das atividades de transporte aquaviário desenvolvidas por donos de catamarãs e embarcações em passeios turísticos que saem da Orla Pôr do Sol Cleomar Brandi para a Crôa do Goré, Ilha dos Namorados e Praia do Viral.

A convite do secretário Ricardo Mascarello, o presidente da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), Luiz Roberto Dantas de Santana, participou do encontro para tratar da permissão de exploração da atividade de transporte, da organização da venda de passagens no local e providências legais já estudadas sobre o assunto.

Demandas

Durante a reunião, os representantes da Aspetur reclamaram que um dos problemas é o “ingresso desordenado” de embarcações explorando os serviços de transporte na Orla Pôr do Sol, gerando conflitos entre os barqueiros e abordagens inconvenientes a turistas. “A gente fica muito preocupado com a questão dos clandestinos que chegam lá pra pegar passageiros e também a forma como eles chegam nos turistas”, relatou o associado Fábio Gomes.

Já o presidente da Aspetur, Darlan de Melo, informou que atualmente operam no transporte aquaviário na região 24 embarcações pertencentes a associados, quatro a empresas jurídicas e outras quatro clandestinas, “gerando distribuição desigual de passageiros nos três guichês existentes no local”. 

Encaminhamentos

O presidente da Emsurb, Luiz Roberto Dantas, explicou que a solução para organizar as atividades dos barqueiros é “transformar todos eles em permissionários”, por meio de um decreto, estabelecendo a concessão de alvarás para os barqueiros poderem operar no transporte de passageiros no estuário do rio Vaza-Barris. 

Sobre a questão da venda de passagens para as embarcações informou que será ordenada a venda em apenas um ponto, eliminando, assim, os conflitos e abordagens a turistas fora do que ficar estabelecido no decreto. “Hoje a situação está sem controle, mas a partir do momento  em que a Prefeitura entrar para organizar a atividade e os barqueiros se tornarem permissionários, todos deverão cumprir as regras para que ninguém opere fora do que venha a estabelecer o decreto”, explicou Luiz Roberto, acrescentando que para o trabalho de fiscalização das atividades será montado um escritório na Orla, com a presença de um fiscal e um coordenador da Emsurb.

Ainda segundo Luiz Roberto, a minuta do decreto está em fase final de redação e será colocada para apreciação dos barqueiros em reunião definida e acatada por todos para a próxima quarta-feira, 5, às 9h, na Orla Pôr do Sol.

Barqueiros satisfeitos

Os representantes da Aspetur saíram da reunião satisfeitos com os encaminhamentos. Fábio Gomes parabenizou os técnicos na construção da solução das demandas colocadas na reunião. “A Prefeitura está de parabéns. Tudo que a gente queria foi feito com competência e quero dizer que podem contar conosco para que dê tudo certo”, comemorou. 

Com o mesmo sentimento, Darlan de Melo também elogiou a solução encontrada pela gestão. “Com certeza, a partir da aprovação do decreto, tornando todos nós permissionários, vamos trabalhar com mais tranquilidade e os turistas receberão melhores serviços, podendo aproveitar os passeios da melhor forma”, avaliou.

Para Ricardo Mascarello, a Orla Pôr do Sol é hoje um dos mais expressivos atrativos de Aracaju, de “grande importância para o turismo e para a geração de renda para os moradores da região”, e que os encaminhamentos dados na reunião “vêm em boa hora”. “É um momento muito oportuno porque a reforma da Orla está para ser entregue, com um píer único que vai ajudar na organização da fila, e um flutuante para 30 embarcações, coincidindo com o início da alta estação”, lembrou. 

Ricardo reforça a qualidade técnica e legal da solução levada pelo presidente Luiz Roberto. “Importante que os barqueiros tenham compreendido a importância e o alcance da solução para as demandas com o estabelecimento de um número para a concessão dos alvarás, em número máximo no momento de 35, só sendo permitida novas autorizações de acordo com o que estabelecer o decreto, e também a ordenação física no local, com a criação de uma fila única para venda de bilhetes, organizando melhor a recepção dos turistas.”, finalizou. 
 
Participaram também da reunião a diretora de turismo da Semict, Luciana Kariny, e o assessor de Controle Interno da Emsurb, José Olino de Castro Lima.