Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Obras e Urbanização

Obra na Zona de Expansão reforça drenagem e amplia mobilidade

30/11/18 16h38

Retomada no início deste ano,  a obra do Canal Beira Mar, que corta uma área residencial que compreende o bairro Atalaia, Aeroporto e Zona de Expansão, representa mais uma realização da atual gestão da Prefeitura de Aracaju na ampliação e melhoria da rede de drenagem da capital. Orçada em R$ 8,3 milhões, conveniados entre o Executivo Municipal e o Governo Federal, a obra vai complementar o canal Beira Mar, criando duas bacias de amortização para o deságue das águas pluviais.

O projeto também prevê a complementação de cerca de 400 metros no canal Beira Mar, implantação da rede de drenagem em 14 ruas do entorno, construção de 1,5 km de ciclovia com medidas de 1,40 metro de largura e a construção de uma avenida ligando o conjunto Beira Mar à avenida Júlio César Leite, no bairro Aeroporto.

A obra, ao ser concluída, terá a capacidade de equacionar definitivamente os problemas de alagamento além de criar uma rota alternativa para acessar o aeroporto Santa Maria. Pelos registros da última década e com a nova configuração urbanística, a região ficará ampara com um moderno e eficiente mobiliário urbano que compreende sistema de drenagem e mobilidade.

Este é o entendimento do secretário municipal da Infraestrutura, Sérgio Ferrari, que explica os motivos que o levam a ter esta definição. "Primeiro porque foi uma região ocupada rapidamente sem o devido investimento em infraestrutura e isto saturou a rede de drenagem local e quase eliminou os canais naturais que antes haviam. Ou seja, cobertura impermeável e diminuição dos pequenos canais e lagoas que se interligavam resultam em alagamentos. Mas, com esta obra a macrodrenagem será assegurada e isto equilibrará o ambiente urbano com as antigas formas de deságue, tornando a área mais segura contra lâminas de água de chuvas", explica Ferrari.

Quem mora na região garante que está confiante com os resultados positivos da obra. A aposentada Maria Luíza Barreto acredita que não enfrentará mais os transtornos de outros tempos e avalia o andamento da obra como satisfatória. "Todos os dias vejo máquinas aqui na rua e isto é um bom sinal de que agora realmente veremos esta obra concluída. Mas mesmo que demore um pouco eu aguado pois o mais importante é que os alagamentos do passado fique apenas na lembrança e agora possamos ter tranquilidade no período de chuvas. De qualquer forma estou otimista com os resultados deste empreendimento", salienta dona Maria Luíza.

Com mais de 32% já executados os serviços estão a todo vapor e, caso as condições climáticas não oscilem, a meta é entregar a obra em meados de 2019. "A empresa contratada opera com aproximadamente 50 operários todos os dias no canteiro e mantém todo o maquinário permanentemente no local. Isto facilita o cronograma e acelera as fases basilares da obra como abertura e alargamento do canal, implantação da base da nova avenida e estabilização do solo que acomodará os novos equipamentos estruturantes", enfatiza Ferrari, para finalizar revelando que o prefeito Edvaldo Nogueira sempre cobra relatório demonstrativo do andamento da obra.