Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Agência Aracaju de Notícias

Consumidores são resguardados com pesquisas divulgadas pelo Procon Municipal

04/12/18 08h51

Proteger o consumidor e estimular o consumo consciente. Esse é o objetivo do Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) Aracaju, que realiza pesquisas comparativas de preço em  diversos tipos de setores do comércio três vezes por mês. A consulta antecipada auxilia o consumidor a escolher o melhor lugar para fazer suas compras.

Um preço bom e que cabe no bolso é o que sempre procura o motorista Adriano Jesus, de 23 anos. Ele costuma pesquisar o preço da gasolina antes de abastecer o seu carro. “O serviço prestado pelo Procon é muito importante porque podemos encontrar o combustível mais barato e qualquer outro produto com um preço melhor para o nosso bolso”, afirma.

No caso de combustíveis e gás de cozinha, o possível aumento de preços de ambos sempre é levado em consideração para sua divulgação com exatidão. “As pesquisas são realizadas nos mais variados setores de mercado. Existe um planejamento de atividades no órgão que, inclusive, contempla a realização das pesquisas comparativas de preços, levando em conta, também, as datas comemorativas e possíveis aumentos ou reduções nos preços dos produtos”, explica o coordenador geral do Procon Aracaju, Igor Lopes.

Em média, são divulgadas três tabelas comparativas de preços no site do Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor todo mês. O grupo responsável pela análise é a equipe de Educação e Pesquisa. Eles realizam um levantamento dos itens mais procurados pelos consumidores e quais os locais mais visitados para a compra destes.

Após essa etapa, escolhe-se a quantidade de itens que vão compor a pesquisa e os locais a serem visitados para recolher os dados. É na página do Procon que ficam registrados os dados e os consumidores podem identificar possíveis abusos que fornecedores ou comerciantes podem praticar na cobrança de produtos.

O balconista Genival Oliveira não sofreu um abuso graças ao Procon. Ao consultar a tabela de preços, ele se dirigiu a um supermercado para comprar um produto sabendo o preço que iria pagar e a quantidade que iria levar. Se não tivesse consultado o site do Procon, Genival teria sido enganado. “Já aconteceu, uma vez. Cheguei a um estabelecimento para comprar uma mercadoria achando que o preço anunciado na tabela do site do Procon equivalia a um quilo. Quando foi na hora de pagar, o preço cobrado pelo estabelecimento equivalia a meio quilo. O serviço é importante porque esclarece muitas coisas e orienta o consumidor”, conclui.