Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Defesa Civil

Prefeitura apoia pesquisas sobre a encosta do Morro do Urubu

20/02/19 19h58


As áreas de risco na capital são monitoradas de forma permanente, no sentido de promover a redução de riscos para as famílias que vivem em situação vulnerável, a partir de estratégias de prevenção. O diálogo com as comunidades e pesquisadores contribuem para o aprimoramento das ações executadas pela Prefeitura de Aracaju, através da Secretaria Municipal da Defesa Social e da Cidadania (Semdec). Por esta razão, por meio da Defesa Civil de Aracaju, foi concedido apoio para realização de análise de riscos na encosta do Morro do Urubu, no bairro Porto Dantas.

O resultado das pesquisas desenvolvidas, como trabalho de conclusão do curso de Geologia da Universidade Federal de Sergipe (UFS), por Isadora Fraga e Marilene Oliveira, foi apresentado, pela segunda vez, à comunidade do bairro Porto Dantas nesta quarta-feira, 20. 

A geóloga Marilene Oliveira ressalta que o apoio da Defesa Civil foi muito importante, especialmente, pelo respeito que a comunidade tem pela instituição, o que facilitou o acesso às famílias que residem na localidade. “Esse trabalho retorna para a comunidade como uma ferramenta, para que eles possam fiscalizar e monitorar as áreas, que estão próximas a área de encosta”, considerou.

Os principais fenômenos aos quais a localidade está associada, de acordo com o estudo, são os escorregamentos, deslizamentos de terra e demais movimentos de massa. Para a avaliação foram quantificados o número de pessoas e número de imóveis por área. “As problemáticas são agravadas pelo descarte de lixo realizado de forma irregular, pois, com certeza, esse é um dos fatores predominantes no risco de movimento de massa, nesse local”, acrescentou Marilene Oliveira.
 
De acordo com o coordenador da Defesa Civil de Aracaju, o major, Sílvio Prado, os dados auxiliam os trabalhos da Defesa Civil. “Diante do refinamento dessas informações, com a realização da pesquisa, a Defesa Civil atua com a implementação de trabalhos de prevenção, monitorando e conscientizando a população sobre o que deve ser feito para reduzir os riscos, para que os impactos de um possível desastre seja minimizado”, ressaltou. 
 
De acordo com Isadora Fraga, que explanou sobre a caracterização dos riscos geológicos no bairro Porto Dantas, a pesquisa foi desenvolvida nesse bairro por ser uma área em expansão. “Realizamos em caracter preventivo, do ponto de vista das construções. Com o auxílio da Defesa Civil e do Nudec pudemos ter acesso às pessoas e realizar o mapeamento com a definição do grau de risco que essas casas estão sujeitas” ressaltou. 
Para que o trabalho fosse desenvolvido as pesquisadoras contaram com dados fornecidos