Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Assistência Social e Cidadania

Assistência Social atua para minimizar danos de famílias afetadas pelas chuvas no Santa Maria e 17 de Março

22/03/19 17h44

A Prefeitura de Aracaju começou a agir nas áreas afetadas pelas chuvas e os fortes ventos assim que a situação foi controlada. Desde ontem, 21, após o cenário de pânico para algumas famílias, a gestão municipal realiza uma verdadeira força tarefa para amenizar os transtornos ocasionados. No início da manhã desta sexta-feira, 22, mais de 50 profissionais da Secretaria Municipal da Assistência Social foram mobilizados para identificar as necessidades das famílias atingidas e encaminhá-las às políticas públicas responsáveis.

Na Ocupação das Mangabeiras, um dos pontos de atuação das equipes, aproximadamente 150 famílias afetadas pelo temporal foram inseridas em um cadastro socioassistencial, que serve para o município ter um direcionamento sobre as perdas das famílias e viabilizar os benefícios eventuais. Somando com os grupos de familiares atendidos desde o início da ação emergencial, foram cadastradas cerca 300 famílias que começam a ser atendidas com os materiais solicitados, a exemplo de cestas básicas, colchões, lonas e produtos de higiene ainda no final desta sexta.

De acordo com o secretário municipal da Assistência Social, Antônio Bittencourt, a equipe agiu com celeridade com o intuito de prestar toda a assistência devida à população atingida. “Mobilizamos todas as equipes dos Cras envolvidos, além de profissionais de outras unidades e da sede com o objetivo de fazer com que toda a ação atendessem o mais rápido possível, os cidadãos aracajuanos afetados. Depois de cadastrar as famílias, estamos organizando toda logística para que possamos entregar todo esse material o mais breve possível. Quero aproveitar para agradecer o empenho de todos os trabalhadores da Assistência, pela agilidade com essa ação imediata, no sentido de dar uma resposta aos danos ocasionados por este evento da natureza tão inesperado por todos”, disse.

O secretário adjunto, Valdiosmar Vieira, pontuou que o momento ainda é de monitoramento das famílias e de atender às demandas emergenciais. “Nós estamos dando prioridade às solicitações mais urgentes. Ou seja, toda essa ação visa fazer um levantamento daquilo que as famílias perderam para que possamos, através dos nossos programas, atender aos pedidos mais urgentes e minimizar os transtornos, consequência do temporal”.

Segundo a dona Elenira Barbosa dos Santos, de 61 anos, dois dos seus filhos, residentes na Ocupação das Mangueirabas, tiveram as suas casas destelhadas e os seus pertences danificados. Para ela, a ação rápida da Prefeitura mostra a eficiência da gestão e a preocupação dos órgãos municipais com os moradores das comunidades mais afetadas. “Eles têm feito um trabalho muito bom e rápido. Ontem mesmo, assim que a chuva passou, já tinha várias pessoas aqui no 17 de Março ajudando as famílias. Estou muito contente com a ação, aliviada por saber que os meus filhos e netos estão todos bem. Estou esperançosa de que tudo será resolvido”, opinou.

No final da tarde, quatro equipes foram enviadas aos locais onde as famílias foram cadastradas para distribuir os materiais emergenciais. A coordenadora do Cras Maria Diná de Menezes, Tatiana Souza, responsável pelo território do 17 de Março, reforçou que os profissionais têm dado todo o auxílio devido. “Todos passaram por cada barraco para entender a situação e identificar as principais demandas das pessoas afetadas. Tem toda uma Rede de Proteção envolvida nesse trabalho com a perspectiva de garantir aquilo que é de direito de todos os cidadãos”, ressaltou.