Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Educação

Emef Thétis Nunes comemora 30 anos de funcionamento com mostra cultural

11/07/19 21h00

Uma das mais tradicionais instituições de ensino do bairro América está em festa. A Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Professora Maria Thétis Nunes completou 30 anos de funcionamento nesta quinta-feira, 11, e, para comemorar, estudantes e equipe diretiva prepararam uma mostra cultural para homenagear a escola e também sua patronesse. A atividade foi realizada nos três turnos. 

Para realizar as homenagens, os alunos embarcaram em uma viagem no tempo. “Há duas semanas, os estudantes começaram o trabalho de pesquisa sobre a história da escola e Thétis Nunes. A partir daí, começaram a confecção dos cartazes, das maquetes e de todos os trabalhos que estão sendo apresentados nessa mostra cultural. É preciso conhecer a história para poder valorizar, se empoderar e se orgulhar do lugar em que está”, afirma o diretor da Emef, Isaú Vinícius Freire, gestor da unidade há oito anos. 

Apresentações teatrais, declamações de poemas, exposições de cartazes e maquetes abordaram a história da instituição e sua relação com a comunidade na qual está inserida. A Emef Thétis Nunes atende, atualmente, cerca de 380 alunos do Ensino Fundamental (1° ao 9° ano) e da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Para quem trabalha na unidade, fica a satisfação de fazer parte destes 30 anos de história.

“Somos todos uma família. Eu tive a felicidade de vir trabalhar aqui e aqui estou há seis anos. Esta escola está à disposição da comunidade, que se faz presente nos nossos projetos. Temos capoeira, kickboxing, espanhol, a escola está sempre aberta e à disposição. E trabalhando, neste ano, a nossa história, nossos alunos puderam aprender a importância da escola para a comunidade e também sobre a professora Thétis Nunes, nossa patronesse, e a sua colaboração com os sergipanos. Compreenderam a importância de recebermos o nome dela e isso é bastante estimulante”, conta a professora Sherina Carla Tavares. 

A secretária municipal da Educação, Maria Cecília Leite, reconhece a importância da Emef para a comunidade do bairro América e para a rede municipal de Educação. “A Thétis Nunes é uma escola que é muito parceira do bairro em que está inserida, e isso faz toda a diferença, pois a escola cumpre seu papel social plenamente. Eu parabenizo a unidade, toda a equipe diretiva, professores, alunos e todos que já passaram por ela, que fazem parte dessa história tão bonita de formação da nossa sociedade”, diz a secretária.  

O terreno onde está localizada a  Emef Thétis Nunes foi doado por Mãe Marizete Lessa, yalorixá do bairro América, que esteve presente na escola durante a comemoração dos 30 anos. A construção do prédio foi iniciada em 1988 e seu funcionamento começou em 1989. Auxiliar de disciplina, Nadja Maria dos Santos trabalha na Emef há 29 anos, acompanhou toda a história da instituição e é a funcionária mais antiga da unidade. “Minha filha mais nova tem quase a mesma idade da escola e eu vi muita mudança acontecer aqui. Quando cheguei, por exemplo, aqui não tinha muro, a escola era aberta. Acompanhei a campanha para construção do muro da escola, vi cada reforma sendo feita e até hoje os ex-alunos me reconhecem na rua”, conta a funcionária.

Patronesse

Maria Thétis Nunes nasceu em Itabaiana em 6 de janeiro de 1925 e foi uma historiadora, professora e escritora sergipana. Foi a primeira mulher a lecionar na Escola Estadual Atheneu Sergipense e participou das discussões sobre a criação da Universidade Federal de Sergipe. Entre os cargos que ocupou durante a carreira, está a direção do Centro de Estudos Brasileiros na Argentina, onde permaneceu quatro anos, tendo lecionado nos cursos de pós-graduação da Universidade Nacional do Litoral e como presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe. 

Ocupava a cadeira 39 da Academia Sergipana de Letras e recebeu diversas homenagens durante a vida, entre elas a Medalha de Mérito Cultural Inácio Joaquim Barbosa, concedida pela Prefeitura de Aracaju e Doutor Honoris Causa, concedida pela Universidade Federal de Sergipe. Faleceu em 2009, aos 84 anos de idade.