Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Saúde

Saúde alinha medidas preventivas para o atendimento a pessoas em situação de acolhimento na capital

12/07/19 12h21

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Aracaju reuniu os gestores da pasta, nesta sexta-feira, 12, para discutir a adoção de medidas e encaminhamentos de prevenção dos efeitos das chuvas na comunidade do bairro Jabotiana, sobretudo a região do Largo da Aparecida, um dos locais da cidade mais afetados.
 
A secretária municipal da Saúde, Waneska Barboza, acompanhou a situação no local e prestou assistência às famílias que moram na região.“Atuamos no acolhimento às famílias que estão desabrigadas e acolhidas no Centro de Referência em Assistência Social do bairro. A equipe da Saúde está atendendo, desde quinta (11), as pessoas que estão no Cras Madre Tereza de Calcutá. Fizemos 105 atendimentos, sendo quarenta e cinco médicos e sessenta de enfermagem”, esclareceu.

Ainda de acordo com Waneska, a reunião serviu também para alinhar os serviços da Saúde ofertados à população no âmbito da força-tarefa montada pela Prefeitura de Aracaju para atender às famílias acolhidas. “Estamos aumentando o plano de contingência para conseguirmos dá um suporte ainda maior a essas pessoas em situação de acolhimento”, enfatizou.

De acordo com a coordenadora da Rede de Atenção Primária (Reap), Monalisa Fonseca, a SMS está dando todo o apoio necessário, sobretudo no suporte social. “Não encontramos nenhuma pessoa com ferimento, o que as famílias estão precisando são de medicamentos de rotina que também já estamos disponibilizando”, disse.

Atendimentos pela Reue
 
Toda estratégia esta montada com a Rede de Urgência e Emergência (Reue) da SMS. “Além do ponto de apoio montado na Associação de Moradores do Sol Nascente, também estaremos preparados com os dois Hospitais Municipais, tanto o Nestor Piva como o Fernando Franco, para receber os pacientes que necessitarem de um atendimento de maior urgência. Teremos uma ambulância do SAMU para os casos de resgate”, relatou a assessora da Reue, Ana Paula Leite.

“Com relação à zoonose, estaremos com o mesmo olhar e assim que houver o escoamento da água, estaremos intensificando nossas ações  para eliminar os risco de determinadas doenças, fazendo as orientações e preparando um relatório para as autoridades”, completa a coordenadora da Rede de Vigilância Sanitária e Ambiental (Revisa), Graça Barros.