Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Saúde

Prefeitura assiste, orienta e empodera gestantes a partir da oferta de serviços específicos

14/08/19 15h11

Quando a menstruação atrasa, um sinal é acionado na cabeça de toda mulher. Seja por uma preocupação comum com a saúde ou o alerta para uma possível gravidez, esse atraso sempre chama a atenção e, antes que ele se torne uma dúvida angustiante, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), oferta serviços que podem amenizar essa preocupação, desde o teste de gravidez até o processo de parto.
 
Nesta quinta-feira, dia 15, é comemorado o Dia da Gestante, data alusiva a uma das fases mais importantes na vida das mulheres, principalmente as que estão prestes a se tornar mães. Nesse período, as mulheres passam por mudanças físicas, psicológicas, conjugais, familiares e profissionais. A assistência às gestantes tem início nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), onde a mulher tem acesso ao teste de gravidez, que se assemelha ao teste de farmácia, feito através da urina, e que faz parte dos serviços da SMS. 

"Muitas pessoas não sabem que as UBS ofertam esse teste. Ele já pode ser feito a partir do sétimo dia de atraso da menstruação e, a partir dele, a mulher tem disponível outros serviços essenciais para a sua saúde, seja em caso de gravidez ou não", disse a referência técnica do Programa Saúde na Escola (PSE) Aline Guimarães, que está grávida da segunda filha.

A coordenadora da Saúde da Mulher, Cristiani Ludmila, explica que a gestante deve fazer no mínimo seis consultas de pré-natal, verificando a pressão arterial, o peso, medir a barriga e escutar o coração do bebê, além de realizar diversos exames ao longo da gestação. Com os exames laboratoriais, é possível identificar e reduzir muitos problemas de saúde que costumam a atingir a mãe e o bebê. Doenças, infecções ou disfunções podem ser detectadas precocemente e tratadas de forma rápida, daí a importância da presença das gestantes em todas as consultas marcadas. 

“É importante que a mulher, ao constatar a gravidez, procure o mais rapidamente o serviço de pré-natal para já começar o vínculo com os serviços de saúde, para fazer os primeiros exames, tomar as vacinas e ter as devidas orientações. Em Aracaju, oferecemos acompanhamento do pré-natal nas UBS, nas quais ofertamos acompanhamento com equipe multidisciplinar, atividades educativas, além de testes rápidos de HIV, hepatites B e C, e sífilis", explicou. 

Paternidade
A diretora de Inteligência da SMS e grávida de sete meses, Roberta Lisboa, falou sobre a importância da participação do marido e pai durante todo o processo de gestação, exercendo a paternidade de forma mais ativa. “Afinal, consultas de planejamento reprodutivo, acompanhamento do pré-natal, o parto e os cuidados no desenvolvimento da criança é tarefa da mãe e do pai. O engajamento do homem com a família melhora a qualidade de vida, criando vínculos afetivos saudáveis entre as pessoas envolvidas. Incentivar a presença e a participação dos homens nas consultas de pré-natal, nas conversas e nos serviços de saúde é primordial. Nas UBS de Aracaju, o marido ou pai também pode ser acompanhado nas consultas de pré-natal do parceiro", ressaltou. 

Imunização
No sétimo mês de gravidez, a coordenadora administrativa Meire Maranhão contou que logo após a confirmação da gravidez iniciou o pré-natal, quando diversas recomendações foram passadas pelo médico. Uma delas foi a atualização da caderneta de vacinação com aplicação de três vacinas recomendadas pelo Ministério da Saúde.

“Vacinas que a gestante deve tomar, a tríplice bacteriana acelular, também conhecida como dTpa adulto, que protege contra a difteria, tétano e coqueluche; a vacina contra hepatite B, onde as grávidas que ainda não tomaram a vacina, devem receber três doses após o primeiro trimestre de gestação, com o intervalo de 60 dias entre elas. E a contra influenza, especialmente indicada para a gestante nos meses em que o vírus costuma estar circulando na população, e pode ser aplicada em qualquer período da gravidez”, disse. 

Visita à maternidade
A Lei Federal nº 11.634, de 2007, assegura que toda gestante assistida pelo Sistema Único de Saúde (SUS) tem direito ao conhecimento e à vinculação prévia da maternidade na qual será realizado seu parto. Assim, a SMS faz valer esta lei e, através de visitas em grupo, realiza, através das equipes da maternidade Santa Isabel, uma espécie de reconhecimento do local onde a mulher vai dar à luz.

"Sempre pedimos que a mulher compareça a essa visita acompanhada pelo pai do bebê ou pela mesma pessoa que irá acompanhá-la no dia do parto. Este é um momento muito delicado, principalmente para a mulher que nunca pariu, ou que não conheça a instituição. Sempre haverá dúvidas e é de extrema importância conhecer o local em que ela dará à luz, tanto a estrutura da maternidade como também os serviços que o local dispõe", acrescentou Cristiani Ludmila.