Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Agência Aracaju de Notícias

Com triturador de galhos, Prefeitura reutiliza material orgânico e reduz custos

12/09/19 05h00

Na natureza nada se perde, tudo se transforma. Desde o início do mês de junho deste ano, essa assertiva ganhou ainda mais sentido nas plantações mantidas no Horto Florestal, localizadas no Parque Augusto Franco (Sementeira), no bairro Jardins.

O artifício que garante a reutilização do material orgânico do espaço é uma máquina trituradora de galhos, aparelho que mói folhas, ramos e galhos de árvores mortas, transformando em substrato, que servem à manutenção das mudas do local. O Horto Florestal é mantido e organizado pela Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Sema).

Todas as matérias oriundas de podas e jardinagens, com até 10 milímetros de espessura, podem ser utilizados no triturador de galhos para a transformação em material reutilizável. Além do benefício na manutenção do Horto Florestal, o uso da máquina garante a economia de custos com a retirada de um material que era tratado como rejeito. É o que explica o coordenador de arborização do Horto Florestal, Cristiano Carvalho.

“Antes, todo material orgânico não mais útil aqui para o Horto Florestal era coletado por empresas que fazem o transbordo desse material e nós tínhamos que pagar por esse serviço, algo que não acontece mais. Hoje, todo esse material é reaproveitado e conseguimos economizar tanto na área econômica quanto nas produções do Horto Florestal através da compostagem. Nós juntamos a nova matéria com a terra vegetal, assim aumentamos os níveis de nutrientes e minerais benéficos para a nutrição vegetal”, explica Cristiano.

Ainda de acordo com o o coordenador de arborização do Horto Florestal, o uso do material proveniente do triturador de galhos assegura a sobrevivência de novas mudas plantadas no Horto Florestal, o que resulta em ambiente cada vez mais arborizado. “Aqui nós produzimos tanto mudas florestais quanto mudas ornamentais e com esse composto orgânico gerado através do triturador de galhos, conseguimos repor substrato, além de forrar solos e outras atividades relacionadas ao plantio, isso aumenta drasticamente a possibilidade da muda sobreviver e crescer. É um grande avanço”, ressaltou.

Ampliação do serviço

Segundo o secretário da Sema, Alan Alexander, antes de adquirir o triturar galhos, a Secretaria estudou possíveis soluções para dois problemas: grande quantidade de restos de árvores e os custos com o recolhimento e transporte desse material.

“A Prefeitura de Aracaju adere à Política Nacional dos Resíduos Sólidos, por isso é preciso ter uma destinação adequada e correta para esses resíduos. Como um montante considerável de árvores são podadas, essa atividade cria um volume enorme de resíduos que implica custos com transportes e dificuldade de destinação satisfatória. Dentro do nosso Planejamento Estratégico , há o Programa Aracaju Sustentável e um dos pontos desse projeto é justamente o reaproveitamento do que sobra das árvores. Com essa máquina garantimos economia e reaproveitamento de um material que seria simplesmente jogado fora”, afirma o gestor.

Para o secretário municipal do Meio Ambiente, a intenção da Prefeitura de Aracaju, é ampliar a utilização do serviço de trituração a outros âmbitos da gestão municipal, o que renderia mais economia nos custos e mais reutilização de material orgânico.

“No momento inicial a máquina será usada para as demandas do Horto Florestal, que não é pouca, é uma quantidade de podas significativa, mas o nosso desejo, sem dúvida, é ampliar esse serviço, é uma articulação que já estamos alinhando com a Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) para concretizar essa expansão. Essa utilização da compostagem em escala maior poderá ser usada em outras áreas da Prefeitura, como, por exemplo, utilizar esse material em uma jardinagem de uma escola municipal”, registra.