Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Agência Aracaju de Notícias

Prefeitura e Caixa alinham e projetam investimentos futuros para Aracaju

08/10/19 14h39

Em reunião na sede administrativa da Prefeitura de Aracaju, nesta terça-feira, 8, técnicos de diversos órgãos e secretarias municipais alinharam projetos em execução e projetaram ações futuras do Município junto a técnicos da Caixa Econômica Federal (CEF) que estão em Sergipe cumprindo uma série de visitas nacionais da Agenda Caixa Mais Desenvolvimento.

De acordo com o secretário municipal de Fazenda, Jeferson Passos, desde o início da atual gestão, a Caixa tem sido parceira prioritária, responsável por viabilizar diversas obras que têm garantido que a Prefeitura beneficie cada vez mais a população e prepare a cidade para o futuro, dando, assim, propulsão ao Planejamento Estratégico que norteia as medidas adotadas pela administração municipal.

“A Caixa tem nos apoiado em operações de crédito, como a CPAC, os R$50 milhões que permitiram a retomada de mais de R$200 milhões em obras que se encontravam paradas. Retomamos, também através da Caixa, nosso Programa de Mobilidade, como as obras de recapeamento que estão sendo feitas na Beira Mar, por exemplo”, afirma o secretário.

Jeferson Passos destaca, também, que a Prefeitura já aprovou junto à Caixa e dará início, no início de 2020, a obra de construção de 1.102 unidades habitacionais na região das Mangabeiras, além do financiamento de 20 milhões, por meio do PNAFM, pra modernização da gestão financeira do município e outros empréstimos de menor porte, que somam R$8 milhões em obras de pequeno porte na zona Norte da capital.

“Sem contar as emendas parlamentares. São R$65 milhões em obras que estão sendo executadas nesse momento nas regiões mais carentes da cidade. Então, essa reunião foi extremamente importante para garantir a celeridade dessas obras, fazer os pequenos ajustes de repasse, de disponibilização de recursos, um ou outro reajuste de projetos, sempre pensando nas melhorias que podemos proporcionar”, pontuou o secretário municipal da Fazenda.

O coordenador do grupo de trabalho e representante do presidente da CEF, Willian Rodrigues, destacou que a ideia da Caixa é continuar apoiando e entender cada vez mais os anseios do município. Nesse sentido, durante a reunião, a equipe do banco apresentou ideias, notícias de convênios e contratos e, “com base no que foi apresentado pela equipe da Prefeitura, ver o que podemos ajudar junto aos ministérios para destravar algumas questões”, salientou Rodrigues.

“Consideramos a excelente relação que temos entre a Caixa e o Município, com a intenção de azeitar essa relação, considerando que a equipe local é muito competente, dá conta do recado. Queremos cooperar para melhorar, consideravelmente, a performance do município, a respeito de obras importantes que a municipalidade demanda”, destacou o coordenador do grupo de trabalho da Caixa.

De acordo com Jeferson Passos, a boa relação construída com a Caixa só foi possível devido ao empenho da gestão em organizar as finanças do município, pois, explicou, o desequilíbrio que existia, até o ano de 2016, não permitia angariar empréstimos, investimentos.

“Não houve nenhuma liberação de recurso porque o município não tinha a condição, não tinha regularidade fiscal, não tinha capacidade de pagamento. Com os ajustes que fizemos em 2017, construímos essa regularização, com todo o esforço que vem se mantendo até agora. Essa regularidade permitiu que, ao final do primeiro ano desta gestão, fosse assinada a primeira operação, que foi o CPAC, e de lá para cá, fomos mostrando essa capacidade de executar. Saímos de um volume de investimento muito baixo, de R$12 milhões, em 2017, pulamos para R$57 milhões, em 2018, e, neste ano, devemos chegar próximo aos R$100 milhões em investimentos realizados, em pagamentos efetuados em serviços”, reforçou Jeferson.

Ainda segundo o secretário municipal, as obras têm possibilitado firmar a cidade para a chegada do desenvolvimento. “Assim, estamos construindo uma cidade com melhor infraestrutura, que busca resolver os seus problemas mais graves, de forma que todo esse conjunto de investimentos também se traduza em um ambiente favorável ao desenvolvimento econômico, com atração de empresas, de emprego, de renda, que já está acontecendo. Um exemplo disso é a construção do atacadista na Melício Machado que só foi possível graças à obra do Canal da Beira Mar, que vai abrir uma nova avenida e favorecer a expansão imobiliária, para a chegada de novos negócios”, completou.