Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Agência Aracaju de Notícias

Prefeitura atua para desmistificar preconceitos sobre a saúde do homem

08/11/19 11h00

Apesar de ter se popularizado como um movimento para chamar a atenção para a prevenção do câncer de próstata, o Novembro Azul é o momento em que se intensifica o alerta para a saúde do homem como um todo. Na capital sergipana, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), a Prefeitura de Aracaju atua, durante todo o ano, oferecendo uma gama de serviços voltados para o público masculino e para frisar a necessidade da prevenção e de cuidados.

Abrangente, essa preocupação tem como base uma realidade alarmante e muito conhecida: os homens procuram pouco os serviços de saúde. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) deste ano apontam, por exemplo, que os indivíduos do sexo masculino vivem menos que os do sexo feminino. Enquanto a expectativa de vida delas é de 80 anos, a deles é de 73 anos.

De acordo com a coordenadora da Área Programática e Estratégica da SMS, Kamila Fialho, novembro é um mês de maior visibilidade do homem, da saúde e, sobretudo, as prevenção de doenças, entretanto, é preciso ter atenção constantemente, durante todo o ano. “O homem está na maior incidência da maioria das doenças que podem ser prevenidas. As doenças crônicas não transmissíveis, como hipertensão e diabetes, são os homens os mais acometidos, e quando eles vão descobrir já está num estágio mais avançado, exatamente porque eles não procuram os serviços de saúde na prevenção”, ressaltou.

Para a coordenadora, a baixa procura tem um fundo baseado na cultura machista proliferada com o tempo. “Os homens entram no serviço de saúde pela porta de urgência dos hospitais. A gente quer e precisa mudar essa cultura machista de que homem não adoece. Seguindo a orientação do Ministério Saúde, a SMS trabalha a saúde integral do homem e, claro, orientamos quanto à prevenção do câncer de próstata, a busca da saúde sexual masculina, também incentivamos a vasectomia que ofertamos na rede. É um conjunto de serviços oferecidos e só precisa do interesse do próprio homem para consigo mesmo”, destacou Kamila.

Na rede municipal de Saúde, o usuário tem acesso a 35 serviços que vão desde a atenção primária, com testes rápidos de doenças sexualmente transmissíveis, vacinas, consultas e exames, passando por acesso a programas como Saúde do Homem, Consultório na Rua, Academia da Cidade, Prevenção de Violências e Acidentes de Trânsito, até atendimentos de urgência 24h a cirurgia de próstata.

“A vasectomia, por exemplo, é um serviço porta aberta, não tem fila, mas, muitos homens ainda cultivam mitos em relação à impotência. Temos o serviço exclusivo com acesso a assistente social, enfermeira e o devido encaminhamento”, frisou a coordenadora.

Segundo Kamila Fialho, todas as faixas etárias são preocupantes, porém, os homens mais velhos buscam mais porque já estão com algum problema de saúde. “Quanto mais cedo eu aprendo a me cuidar e prevenir, a tendência de ter doenças já instaladas é menor. Temos um ótimo programa, o Academia da Cidade, que é um dos serviços ofertados que, nos vários polos que temos espalhados pela cidade, vemos, majoritariamente, a presença de mulheres. Exercício físico é uma das melhores formas de prevenir doenças como diabetes, hipertensão, inclusive, o câncer. Portanto, é preciso chamar a atenção dos homens para os cuidados desde cedo”, pontuou.

Um dos saltos importantes na Saúde do Município está relacionado ao usuário trans, como afirmou Kamila. “Estamos evoluindo no sentido de que alguns serviços antes exclusivos ao público feminino, agora estão sendo ofertados para o homem trans. Se, por exemplo, é uma mulher trans, mas, precisa fazer um exame de lâmina, hoje já é permitido na rede, o sistema de regulação já aceita. Isso é um ganho para a cidade de Aracaju. Assim como o PSA, que era restrito para o homem por causa da dosagem de hormônio e o exame de toque, também são permitidos para o homem trans”, esclareceu.