Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Agência Aracaju de Notícias

Investimentos estratégicos da Prefeitura geram emprego e renda e aquecem economia local

10/02/2020 06h00

Mesmo em face do cenário de crise econômica que se perpetua no país há alguns anos, a Prefeitura de Aracaju tem conseguido, por meio de ações de fomento da economia, como qualificação profissional de seus servidores, promoção de cursos profissionalizantes aos aracajuanos e investimento na infraestrutura da cidade, criar vagas de emprego e gerar renda no município.
 
Após um período de reorganização das finanças, com o pagamento de dívidas herdadas da administração anterior e a renovação do parque tecnológico das secretarias, o que possibilitou economia na execução dos serviços e procedimentos técnicos, os projetos de melhoria da infraestrutura da cidade foram intensificados.

Os investimentos nesses tipos de projetos, pavimentação e urbanização de bairros, ou o recapeamento asfáltico das principais avenidas, são responsáveis pela criação de aproximadamente 800 vagas de empregos diretos e indiretos, por meio das empresas contratadas para as execuções.

“Há uma grande quantidade de empregos gerados tanto diretamente, pelas obras, por exemplo na contratação para pedreiros, carpinteiros, vigilantes, almoxarifes, operadores de máquinas, entre outros, quanto indiretamente, ao ativar a cadeia produtiva da área de engenharia civil, ou seja, as empresas que comercializam asfalto, ferragens, tijolos, combustível, material elétrico e demais insumos”, explica o presidente da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), Sérgio Ferrari.      

Além da geração de empregos, os investimentos são o que os economistas classificam como “gastos produtivos”, uma vez que possuem a capacidade de baratear os custos de produção privados, criar melhores condições para o desenvolvimento de negócios e, consequentemente, aumentar as possibilidades de aquecimento da economia local.

Assim, quando uma via importante da cidade é recapeada ou ampliada, consequentemente, reduzindo o tempo de deslocamento tanto dos trabalhadores, quanto da produção, um impacto econômico positivo é alcançado.

Esse protagonismo da administração pública na busca por opções para superar a crise econômica pode ser sentida, também, por meio dos salários que os contratados recebem, pois uma parte deles é gasto no comércio local.

Busca por oportunidades

Para além do aporte financeiro, a gestão mantém um eficaz sistema de política pública em relação à reinserção de aracajuanos no mercado de trabalho. O serviço prestado pela  Fundação Municipal de Formação para o Trabalho (Fundat), ampliado nos últimos anos, alcançou, em 2019, o melhor resultado dos últimos quatro anos, com mais de 18.000 vagas de capacitação ofertadas e centenas de pessoas alocadas em empresas parceiras.   

“A gestão de Aracaju tem feito um esforço enorme para movimentar a atividade econômica no município. Em um período que o Brasil sofreu muito com a recessão, a administração atual priorizou investimentos e a realização de obras com o objetivo de gerar emprego e renda, fazendo com que a cidade volte a crescer. Mais do que isso, nós temos um pilar da sustentabilidade para este crescimento econômico, que é a formação e capacitação profissional”, explica o secretário municipal da Fazenda, Jeferson Passos.

Segundo o secretário, as políticas públicas de formação de pessoas para o mercado de trabalho permitem que jovens e adultos sem formação regular consigam ter uma capacitação técnica e sejam inseridos no mercado de trabalho. Em um período de retomada de setores importantes, como a construção civil e o turismo, exemplifica Jeferson, é uma oportunidade para que as pessoas se capacitem e possam conseguir empregos nessas áreas.

“A Fundat tem essa tradição na realização de cursos de formação profissional nesses dois segmentos, mas também em diversos outros. E, com certeza, ela contribui para que essas pessoas se qualifiquem e possam acessar o mercado de trabalho e reduzir o desemprego”, ressalta o secretário municipal da Fazenda.

A partir de parcerias com a iniciativa privada e com instituições de ensino superior, a Fundação Municipal consegue realizar uma busca ativa por vagas de empregos, as quais são levadas para aqueles que passaram pelo processo de qualificação. No ano passado, com 329 parceiros, 989 postos de trabalho foram captados. Desses, 511 foram ocupados por aracajuanos que passaram pela Fundat.

“A missão do órgão é qualificar os aracajuanos de forma gratuita, facilitando seu ingresso no mercado de trabalho. Aliado aos cursos que oferecemos, também buscamos parcerias com empresas privadas, fazendo o link entre os capacitados e as vagas. Isso tem funcionado muito bem por conta da confiança dos empresários no trabalho desenvolvido pela gestão, o que permite que mais cidadãos consigam emprego e que as empresas tenham funcionários preparados”, comemora a presidente da Fundat, Edivaneide Souza.   

Afinamento da máquina

O cuidado com os servidores municipais também faz parte da estratégia da gestão. Por meio da Escola de Governo e Administração Pública (Esgap), apenas nos últimos doze meses, 1.949 deles foram capacitados, seja para utilizarem os novos softwares adquiridos ou atualizarem seus conhecimentos nas áreas de atuação.  

Durante o período mencionado, foram realizados 29 cursos, 14 palestras e 586 atendimentos psicossociais, que garantiram tanto o aperfeiçoamento profissional para os trabalhadores quanto a garantia da prestação de serviço aos cidadãos com maior eficiência.