Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Agência Aracaju de Notícias

Qualificação do transporte náutico agrada barqueiros e atrai turistas à Orla Pôr do Sol

08/02/2020 06h00

Há quase 10 anos, a Orla Pôr do Sol, localizada no povoado Mosqueiro, na Zona de Expansão de Aracaju, se tornou mais um importante ponto turístico da capital. Em 2019, uma das atividades mais tradicionais da localidade, o transporte náutico, foi devidamente formalizada.

Após a revitalização realizada do espaço, feita a partir de uma parceria entre a Prefeitura de Aracaju, Governo do Estado e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o transporte náutico foi licenciado e certificado pelo Ministério do Turismo e, hoje, conta com total organização promovida pela Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb).

Antes mesmo de passar pela urbanização, o local já era bastante conhecido pela travessia de embarcações para lugares como Crôa do Goré e Ilha dos Namorados. Com a construção da Orla, além de maior movimento de lanchas, catamarãs, entre outros meios de transporte náutico, o lugar começou a receber um maior número de visitantes de outras cidades e estados.

Porém, a falta de padronização da travessia ou mesmo do comércio de ambulantes era um problema a ser gerenciado, medida iniciada em meados de dezembro passado e concluída em janeiro deste ano.

“Havia uma disputa intensa por turistas, uma abordagem que era feita de forma inadequada, além da desorganização do embarque e desembarque, e não havia fila única, sem contar a desordem de ambulantes. Isso causava muitos transtornos e afastava as pessoas. Com o projeto da revitalização, nosso pensamento foi, de imediato, tratar mudar esse cenário e qualificar o serviço”, afirma o presidente da Emsurb, Luiz Roberto Dantas.

Para adiantar o processo de formalização, já em março do ano passado foi assinado o decreto que regulamentou o embarque e desembarque de passageiros na Orla Pôr do Sol, cujo objetivo é regular os serviços de transporte, funcionamento e cadastro de pessoas físicas e jurídicas que exercem a atividade de transporte náutico na região.

Conforme o decreto, a Emsurb expede alvará de Licenciamento de Atividade de Turismo Náutico - ALATIN. Todas as embarcações deverão possuir, obrigatoriamente, cartão de identificação padronizado, expedido pelo órgão municipal.

Coube à Emsurb regulamentar os horários regulares de embarque e desembarque de passageiro, e organizar as filas, reservas antecipadas e condições de utilização de píeres da Orla. A venda de passagens para passeios turísticos, agora, é realizada em um posto credenciado da Prefeitura.

Atualmente, Emsurb fiscaliza, também, o uso das áreas públicas pelos comerciantes, de forma a não atrapalhar o fluxo de pessoas que visitam a Orla. A Empresa Municipal mantém agentes fixos da Diretoria de Operações responsáveis pela limpeza e manutenção das áreas verdes.

“Realizamos reuniões com os barqueiros, com a associação, com as empresas que operam ali e pessoas físicas e conseguimos formar, dentro de um diálogo aberto, franco e transparente, um texto para decreto e depois uma portaria pela Emsurb. Nesses instrumentos jurídicos, nós prevíamos não só a concessão de alvará para que eles pudessem operar ali, mas também o cadastro no Ministério do Turismo que facilite o processo, inclusive, para obter verba para a melhoria das embarcações. Instituímos a fiscalização na Orla, fila única, proibimos a abordagem, fixamos várias placas ao longo da Orla e, a partir disso, o píer fixo já está sendo utilizado e, em breve, o móvel também estará pronto para o funcionamento da fila única”, destaca Luiz Roberto.

Serviço qualificado
Para se adequar à nova realidade, os barqueiros chegaram a passar por uma capacitação ofertada pela Prefeitura, por meio da Fundação Municipal para o Trabalho (Fundat). Com as medidas para qualificar o serviço, tanto os profissionais como também os turistas começaram a se atrair ainda mais pelo lazer ofertado na Orla Pôr do Sol.

Há 23 anos, Adenilson da Silva trabalha com transporte náutico. Hoje, ele prefere ser chamado de marinheiro e acredita que o ponto turístico melhorou muito com a qualificação e revitalização.

“Antes, havia muita confusão quando íamos abordar as pessoas, sem contar no preço desigual que era ofertado. Agora, temos mais segurança para realizar o nosso trabalho e está tudo muito organizado, justo. Nós, marinheiros, ganhamos, os turistas ganharam e tudo se ajeitou da melhor maneira possível. Era um desejo antigo que tínhamos e dá até mais gosto em estar na Orla Pôr do Sol”, considerou Adenilson, conhecido como ‘Moreno’, um dos barqueiros mais conhecido da região.

Barqueiro bastante conhecido na região, Edilson Soares trabalha no ofício há cerca de 11 anos e, para ele, um dos pontos positivos foi a qualificação pela qual passaram.

“Hoje, estamos mais esclarecidos sobre uma série de coisas. Por sermos qualificados e termos certificados, as pessoas passam a confiar mais no nosso trabalho porque têm a comprovação de que é algo feito de forma séria, organizada. Acabou as confusões que existiam e até o clima entre os barqueiros melhorou porque uma organização, existe fiscalização do serviço”, comemora Edilson.

Turista da Bahia, José Nolasco estava de visita à capital sergipana pela primeira vez e, um dos locais que mais ouviu falar foi da Orla Pôr do Sol. “O lugar é fantástico, muito agradável. Tudo é muito organizado e as pessoas atendem muito bem. Tudo o que ouvi de bom pude confirmar e espero ter outra oportunidade, em breve, para voltar a Aracaju”, ressaltou.

Neuza Santana também esteve em Aracaju pela primeira vez. Para ela, a Orla Pôr do Sol tem que ser um passeio obrigatório para quem visita a cidade. “A gente preza muito por um bom atendimento e isso tivemos. É um passeio muito tranquilo e bem organizado. Não tivemos problemas com nada. Quando somos bem recebidos, só temos vontade de retornar muitas vezes”, frisou.