Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Agência Aracaju de Notícias

Com salário em dia, Prefeitura aquece comércio e injeta bilhões de reais na economia

20/02/2020 06h00

O município de Aracaju tem aproximadamente 16 mil servidores, cujos salários proveem, como meio de subsistência e de consumo, a algo em torno de 64 mil pessoas, cerca de 10% da população da capital. De modo a valorizar o servidor, a atual administração paga rigorosamente os salários dos servidores dentro do mês trabalhado, como a folha de pagamento referente ao mês de fevereiro, que será quitada, antecipadamente, para todo o funcionalismo ativo e inativo e aos pensionistas nesta sexta-feira, dia 21.
 
São aproximadamente R$85 milhões que, todo mês, o município de Aracaju coloca na atividade econômica por meio do pagamento de salários. "Quando a gente considera 13º, férias, o montante anual gira em torno de R$1,2 bilhão. Nos últimos três anos, a Prefeitura já colocou na atividade econômica R$3,3 bilhões, decorrentes do pagamento de salários e encargos dos servidores do município", contabiliza o secretário municipal da Fazenda, Jeferson Passos.
 
O secretário destaca que a regularidade do pagamento de salário desse conjunto de pessoas é extremamente relevante para que a atividade econômica se mantenha aquecida. "Quando as pessoas recebem seus salários, elas utilizam parte significativa dessa renda na compra de alimentos, de bens duráveis, na contratação de serviços, e isso gera mais emprego, mais renda nas atividades privadas. Então, com certeza, ela contribuiu de forma decisiva para que essa atividade econômica  se fortaleça e se mantenha girando, gerando mais renda", explica.
 
Segundo Jeferson, a regularidade do pagamento dos salários influencia, também, em outro aspecto, que é o da confiança, do planejamento. "Tanto da confiança do servidor em poder se planejar para realizar compras, como, por exemplo, a prazo; como do próprio comércio e dos serviços que são prestados, que sabendo que o município recuperou sua capacidade e sua organização de manter a regularidade no pagamento de salários, se sente confortável em oferecer o crédito aos servidores do município", justifica.
 
Ou seja, para o secretário municipal da Fazenda, é um jogo em que todos ganham. "O município ganha ao garantir aos seus servidores essa regularidade e essa tranquilidade, e eles retribuem na forma de trabalho; o servidor ganha, porque sabendo que vai receber seu salário em dia vai poder se planejar melhor, fazer suas compras e vai deixar de pagar juros e encargos de eventuais atrasos; e o próprio comércio ganha porque tem mais confiança em oferecer crédito ao servidor do município de Aracaju e ela ganha também com a movimentação da atividade econômica", analisa.
 
Entidades do setor
Para o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Sergipe (Fecomércio/SE), Laércio Oliveira, de fato, a economia de Sergipe indica recuperação depois de queda nas vendas do comércio, como houve em 2017. "Já 2018, apontou um crescimento considerável. Ainda não podemos falar especificamente de 2019, pois os dados não foram finalizados. Contudo, as vendas do comércio devem manter estabilidade e isso é importante", garante.
 
"Estamos em um processo de saída de uma crise que afetou muito nosso estado, principalmente Aracaju. Mas é importante salientar que as vendas têm se sustentado em crescimento devido a fatores importantes, como a injeção de recursos da Prefeitura no pagamento dos servidores. Os lojistas sabem que todo final de mês é certo que temos mais vendas, pois chega o pagamento dos servidores municipais, que movimentam bastante nosso comércio", complementa Laércio.
 
Esse pagamento em dia, segundo o presidente da Fecomércio, é uma das maiores certezas que o setor tem como parâmetro de elevação de vendas. Isso porque, de acordo com ele, os cinco dias que precedem o pagamento, bem como os cinco posteriores, são dias de boas vendas no comércio, e isso se deve também ao pagamento em dia dos servidores.

"Além disso, os recursos investidos nas obras, contratando mão de obra local e movimentando o comércio de material de construção, é um indicador que sobressai nas vendas do varejo ampliado também. Com o salário do servidor em dia, ganha todo o comércio, pois isso ajuda a gerar emprego para nosso povo", reitera.
 
O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Aracaju (CDL), Breno Barreto, confirma. Para ele, a participação do montante pago, em dia, pela Prefeitura tem sido fundamental para a economia da capital.

"Recebendo em dia, os servidores têm mais poder de compra. Isso vale para os demais municípios e também para o Estado, porque, assim, os funcionários se sentem seguros em adquirir um bem ou um serviço", afirma. "Podemos dizer que de 2018 para cá tem havido uma reação do setor", completa Breno.
 
Nesse cenário, vale ressaltar que a Prefeitura de Aracaju também tem fomentado a realização de cursos profissionalizantes para os aracajuanos e investido na infraestrutura da cidade, criando, assim, vagas de emprego e gerando mais renda no município. Isso foi possível graças a um período de reorganização das finanças, com o pagamento de dívidas herdadas da administração anterior e a renovação do parque tecnológico das secretarias, o que possibilitou economia na execução dos serviços e procedimentos técnicos.