Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Assistência Social e Cidadania

Casa de Passagem Acolher promove inclusão social a partir de festejo carnavalesco

17/02/2020 17h15

Em clima de gratidão, usuários da Casa de Passagem Acolher estiveram reunidos, na tarde desta segunda-feira, 17, para mais uma edição do “Bloquinho do Acolher”, realizado em alusão ao mês do Carnaval. A unidade, gerenciada pela Prefeitura de Aracaju, por intermédio da Secretaria Municipal da Assistência Social, conta, atualmente, com 40 pessoas, entre bebês, crianças, adolescentes e idosos em situação de rua que não possuem vínculos familiares, condições de autossustento ou precisam de acolhimento institucional para a garantia da sua proteção social.

De acordo com a secretária da Assistência Social de Aracaju, Simone Passos, eventos como esses proporcionam momentos significativos na vida pessoal do usuário e contribuem para a elevação da autoestima.

“São pessoas que já passaram por diversas atribulações e promover momentos de alegria e diversão, através da festa popular de Carnaval dentro da unidade, é também uma forma de inclusão e de garantir o direito deles de acesso à cultura. A equipe da Acolher tem uma missão muito grande que é atender, acolher e direcionar esses usuários para as políticas públicas do município. A cada intervenção da equipe técnica, em cada evento festivo, são momentos especiais que proporcionam conforto e felicidade, o que marca positivamente a vida deles, além de levar esperança e um pouco de distração para elevar a autoestima de cada um”, destacou.  

Além dos objetos simbólicos da festa típica da época, como confete, espuma e máscaras de carnaval, também foi comemorado os aniversariantes do mês. Para a coordenadora da Casa de Passagem Acolher, Fernanda Fraga, o evento resgata a alegria dos usuários e proporciona momentos de integração.

“Nas datas comemorativas, sempre reunimos os usuários para festejar. Desde sempre incentivamos a participação deles nas manifestações populares para que façam parte da cultura e se sintam valorizados. A partir do momento que os usuários estão em situação de vulnerabilidade, eles se tornam invisíveis para a sociedade e quando eles se reúnem em momentos como esse, se sentem acolhidos, seguros e alegres. Muitos deles nem lembravam que faziam aniversário e, com a festa de carnaval, celebramos a chegada da nova idade, assim, eles se sentem amados e acima de tudo, proporcionamos um atendimento humanizado”, contou.

O usuário Wendel Menezes, 36, está há duas semanas na unidade e já reconhece todo o esforço da equipe técnica da Casa Acolher. “Fiquei sem dormir, resgatando da memória tudo o que aconteceu para que eu chegasse até aqui e ser acolhido por uma equipe muito atenciosa, prestativa e paciente. No pouco tempo que estou aqui, recebi todo o atendimento necessário e fui recebido com muito amor. Além do cuidado especial, eles proporcionam passeios, festas e o próprio acolhimento. Escrevi a carta como forma de agradecer a tudo que eles fizeram e fazem não só por mim, como para todos os usuários”, disse, emocionado.

Grávida de seis meses, a usuária Viviane da Silva, 36, já é mãe de outros três filhos. Durante o evento, uma de suas filhas, Priscila, teve a oportunidade de comemorar o aniversário pela primeira vez. Além de brinicar o carnaval, para ela o momento representa gratidão.

“Foi um festa muito boa, nos divertimos bastante e minha filha completou quatro anos de idade. É gratificante ver que têm pessoas que se importam com o próximo e aqui eu pude sentir o amor dos funcionários por mim e pelos meus filhos. Quando eu já não tinha esperança de nada, eles chegaram como luz no fim do túnel. Estou muito feliz”, afirmou.