Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Agência Aracaju de Notícias

Divulgação do destino Aracaju feita pela Prefeitura colabora para atrair turistas à capital

21/02/2020 05h15

Conhecida pela tranquilidade nos seus diversos ambientes e receptividade dos moradores, Aracaju recepciona, entre os meses de dezembro e fevereiro, crescente número de turistas. A alta estação é o período propício para pessoas de diversas partes do Brasil, e até do mundo, visitar a capital sergipana para apreciar os atrativos da cidade.

Embora haja outros entes atuantes, a Prefeitura de Aracaju dá a sua contribuição para divulgar a cidade como destino turístico e, de forma intersetorial, trabalha para desenvolver eventos que contribuam cada vez mais para a atração de visitantes.

Nesse período, a rede hoteleira instalada na capital sergipana opera com uma taxa de 90% a 95% de ocupação. A expectativa se deve, entre outros fatores, à retomada de eventos importantes para o turismo e para a economia da cidade.

A diretora do Departamento de Turismo da Secretaria Municipal da Indústria, Comércio e Turismo (Semict), Luciana Kariny dos Anjos, destacou três acontecimentos que ajudaram a aquecer o segmento turístico em Aracaju.

“No final do ano, com o Natal Iluminado, a cidade ganhou visibilidade. Desde que a Prefeitura resgatou as luzes do período natalino, Aracaju ganhou mais um atrativo. Além disso, a retomada da festa de réveillon, na Orla, agregou muito ao turismo e, consequentemente, à economia. A volta do Projeto Verão coroou essa nova fase da capital”, destaca Luciana.

Segundo a diretora de Turismo, mesmo que a cidade possua inúmeros lugares atrativos, é preciso que haja essa mobilização em torno de eventos porque isso também ajuda a chamar a atenção de quem é de fora. “Nossos eventos estão sendo colocados, inclusive, no calendário oficial do Ministério do Turismo”, salientou.

Para alavancar as potencialidades de Aracaju, a Prefeitura, por meio da Semict, tem divulgado a cidade em outras regiões, como destacou Luciana. “Uma das oportunidades que tivemos foi a de participar da Expo Abav, que é uma feira internacional de turismo. Foi a primeira vez que houve um estande da Prefeitura por lá. Além disso, enviamos materiais para feiras de cidades como Gramado e João Pessoa, tudo isso para expandir o nome de Aracaju como destino”, afirmou a diretora.

Ainda que a capital sergipana não esteja entre os destinos mais procurados do país para o carnaval, segundo Luciana, ainda assim, há boas expectativas para o período.

“Aracaju tem sido bastante procurada por pessoas que preferem descansar e sair um pouco das grandes multidões, e essa busca tem crescido ano após ano. Embora a cidade não esteja entre as mais badaladas para a época carnavalesca, isto não quer dizer que exista uma baixa nos hotéis, por exemplo. Ainda verificamos uma ocupação entre 85% e 90%, o que é muito positivo”, frisou Luciana.

Há quatro meses, o empresário José Wilson dos Santos, diretor-geral de uma das maiores redes de educação superior do Nordeste, optou por se tornar, também, proprietário de um dos hotéis localizado na Orla da Atalaia. Para ele, o momento está vantajoso.

“Saí da Bahia para expandir e Sergipe, mais precisamente Aracaju, tem muito potencial turístico. Foi o que me motivou a seguir por esse caminho e acredito muito no poder que essa cidade tem para atrair pessoas, não somente pelas belezas naturais, mas também por todo o desenvolvimento que tem demonstrado. Sabemos que existe toda uma divulgação e uma vontade por parte da Prefeitura, por exemplo, para dar ainda mais visibilidade, no entanto, é preciso unir forçar, administração pública e privada, para que essa expansão deslanche ainda mais”, ressaltou.

De acordo como Wilson, a procura pelo seu hotel tem sido satisfatória. “Agora, mais próximo ao carnaval, temos recebido muita gente de São Paulo e da Bahia, pessoas que procuram mais tranquilidade. Temos uma ocupação de mais de 80%, o que é muito bom. Acredito que fazendo a nossa parte, enquanto empresários, podemos contribuir ainda mais para o desenvolvimento turístico da cidade porque, afinal, o poder público não pode fazer tudo sozinho, deve ser uma força-tarefa”, acrescentou.