Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Saúde

Vigilância Sanitária fiscaliza comércio de alimentos e bebidas na área do Rasgadinho

24/02/2020 10h34

Em eventos de massa, como é o caso do Carnaval, o comércio de gelo, alimentos e bebidas geralmente é feito por vendedores ambulantes, que precisam se adaptar ao ambiente e tomar algumas medidas para que os alimentos comercializados estejam dentro da regularidade.

Para que seja garantida a procedência e o tratamento dos produtos, a Prefeitura de Aracaju por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) está com a equipe da Rede de Vigilância Sanitária (Revisa) em toda extensão do Rasgadinho, fiscalizando ambulantes e vendedores.

“Durante as inspeções, verificamos as condições sanitárias, ou seja, se os alimentos estão bem acondicionados, se o gelo está sem risco de contaminação e se as pessoas que estão manipulando os alimentos estão usando equipamentos de proteção individual (EPI’s). Tudo isto para evitar que a população corra riscos ao consumir os produtos”, esclareceu a fiscal da Vigilância Sanitária, Leonice Maria Souza.

Certificado

Durante as fiscalizações, as equipes têm exigido o certificado de treinamento em práticas de manipulação de alimentos. O certificado necessário aos ambulantes é fornecido após o curso de como comercializar os alimentos de maneira correta.

Responsável por uma barraca de bebidas, dona Lêda Vasconcelos diz que a atuação da Prefeitura é muito importante. “É um trabalho de responsabilidade, tanto da gente, quanto de todos da vigilância, pois nós que trabalhamos com manipulação de alimentos, precisamos ficar bastante atentos à limpeza”, reconheceu, exibindo o certificado do Curso de Boas Práticas.

A vendedora de alimentos Edineide de Santana enfatizou que esta ação vem mobilizar ainda mais os vendedores de alimentos e bebidas para que tudo esteja correto. “Passamos por treinamentos e agora estamos colocando em prática tudo que aprendemos para o bom andamento das nossas vendas”, afirmou.

Na inspeção realizada nos dias do Rasgadinho são verificadas as condições de higiene do lugar e dada uma orientação ao ambulantes. Caso sejam encontradas irregularidades, os alimentos são recolhidos e descartados. Para a população, a fiscal da vigilância Marli Alemida, alerta que normalmente, o alimento já mostra se está próprio para consumo.

“As pessoas devem olhar sua aparência e onde ele está guardado. Existem ambulantes que usam expositores de vidro, alguns com temperatura controlada, outros não, mas estando ali já protege o alimento. Também é importante verificar se o ambulante tem o álcool 70 para a higienização das mãos, já que eles não podem ter uma pia para fazer isso. O consumidor deve verificar se os ambulantes têm tudo isso, se está limpo e com touca. Então, desse jeito, podemos comer e beber com segurança", alertou.