Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Saúde

Pacientes aprovam atendimento nas unidades de referência para síndromes gripais

30/06/2020 16h10

Como uma das portas de entrada de pacientes com suspeita de coronavírus, as oito Unidades Básicas de Saúde da Prefeitura de Aracaju para atendimento exclusivo de pacientes com sintomas de síndromes gripais já receberam 19.462 pessoas, conforme levantamento da Rede de Atenção Primária atualizado no sábado (28).
 
Com o suporte dessas unidades, espalhadas nas oito regiões da capital, pacientes com sintomas mais leves ou que tiveram contato com casos confirmados da doença e estão suspeitos de infecção são acolhidos. É o caso da jovem Lívia Araújo, moradora do bairro Grageru, que buscou nesta terça-feira, 30, atendimento na UBS Augusto Franco, após apresentar sintomas. 

“Meu namorado testou positivo, e depois disso comecei a ter sintomas de gripe, perdi o olfato e o paladar, mas depois melhorei. Mas há três dias comecei a ter os sintomas de novo, com dor no corpo, acordei com a pele irritada e vim buscar atendimento, que foi ótimo. A médica foi muito gente boa, me atendeu super bem. Recebi a medicação, e ela orientou que enquanto estiver com sintomas, ficar isolada até o final da quarentena”, disse Lívia ao reconhecer a qualidade do atendimento recebido. 

Também na UBS Augusto Franco a senhora Maria Jeane do Nascimento buscou atendimento com queixa de dor de cabeça, febre, dor nas articulações e falta do paladar. “Estive na unidade no mês de abril, mas foi apenas uma gripe. Mas dessa vez tem dois dias que sinto febre, e lá no meu trabalho tiveram pessoas que já testaram positivo, e fico com suspeita de estar levando doença pra casa”, confessou.

Atendimento aprovado
Após passar pelo consultório médico, Maria Jeane saiu mais tranquila e certa de seguir as orientações. “O atendimento foi excelente! Como só tem dois dias com os sintomas, não tem como fazer o teste agora. Ela [a médica] passou medicação, pediu que ficasse de repouso observando os sintomas e até o dia cinco retornar para fazer o teste, se persistir os sintomas. Foi excelente, toda a equipe!”, elogiou a usuária. 

Já na UBS Eunice Barbosa, localizada no bairro Coqueiral, a paciente Ana Caroline dos Santos também aprovou o atendimento. Ela e a filha Heloisa Costa, de dois anos, foram atendidas na segunda (29) e retornaram à unidade nesta terça-feira para realizar exames. 

“Fomos avaliadas ontem e a médica orientou vir hoje fazer exame. Passou medicação para a tosse e a dor de cabeça, e orientou ficar de quarentena 15 dias, como já tem três, vamos ficar mais 12 dias de repouso, observando os sintomas”, disse Ana Caroline. 

Pediatra da UBS Eunice Barbosa, a médica Leoney Oliveira afirma que a maior parte dos pacientes infantis que buscam atendimento na unidade são de doenças comuns desse período do ano. 

“Como estamos no inverno, costumeiramente em anos anteriores, essa é uma época que favorece episódios de bronquite e arboviroses, como zika e chikungunya. Quando esses pacientes estão procurando o posto, geralmente os sintomas que vêm relatando são próprios dessa época. Queixa de febre, tosse, com ou sem secreção, além disso, dores no corpo, cefaleia, diarreia. Como em crianças os quadros são menos agressivos, graças a Deus, até agora, nesse período de três meses, só tivemos dois casos graves”, explicou a pediatra.

Dos dois casos de crianças atendidas na unidade que testaram positivo para covid-19, uma já chegou com quadro clínico mais grave e precisou ser encaminhada ao hospital. “O outro caso tratava-se de um bebê de um mês, que por estar num ambiente de risco, ficou mais exposta ao vírus”, relatou a médica, afirmando que os dois casos já estão recuperados.