Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Saúde

Após ampliação do horário de atendimento, UBSs já atenderam mais de 180 mil usuários

23/02/2021 16h20

Para facilitar ainda mais o acesso dos aracajuanos aos serviços de saúde, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), ampliou, ainda em 2020, o horário de atendimento de parte das Unidades Básicas de Saúde (UBS).
 
Atualmente, são 14 UBSs funcionando das 7h às 19h, de segunda a sexta-feira. Nessas unidades, até o momento, foram atendidas 180.144 pessoas, sendo que no horário entre as 17h e 19h foram 12.484 usuários acolhidos pelo serviço.

Funcionam em horário estendido as UBSs: Dona Sinhazinha (Grageru), Hugo Gurgel (Coroa do Meio), Francisco Fonseca (18 do Forte), Marx Carvalho (Ponto Novo), Antônio Alves (Atalaia); Dona Jovem (Bairro Industrial), Manoel de Souza (Conjunto Sol Nascente), Santa Terezinha (Robalo), Joaldo Barbosa (Bairro América), José Calumby (Jardim Centenário), Augusto Franco (Augusto Franco), Fernando Sampaio (Castelo Branco), Cândida Alves (Santo Antônio) e Ávila Nabuco (Conj. Médici).

Temporariamente, como estratégia para o enfrentamento do novo coronavírus, outras quatro UBSs funcionam de maneira diferenciada, de domingo a domingo, das 7h às 19h, mas com atendimento voltado exclusivamente para casos de síndromes gripais. São elas: Geraldo Magela (Orlando Dantas), Ministro Costa Cavalcante (Inácio Barbosa), José Machado de Souza (Santos Dumont) e Onésimo Pinto (Jardim Centenário). 

Vale ressaltar que o horário de funcionamento se estende até às 19h, porém, os usuários são orientados a chegar até uma hora antes do fechamento da unidade, para um melhor fluxo de atendimento.

“Muitos serviços de saúde são executados na Atenção Primária, e ofertar um horário mais flexível para os usuários tende a ampliar esse acesso. São consultas, dispensação de medicamentos, aplicação de vacinas e procedimentos que beneficiam muitas pessoas que tem uma carga de horário de trabalho que as impede de fazer uso da rede de saúde no expediente comum”, declarou a coordenadora da Rede de Atenção Primária (Reap), Kamila Fialho.