Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Agência Aracaju de Notícias

Comunidade escolar da rede municipal reconhece importância dos kits de alimentação

07/04/2021 12h00

A Prefeitura de Aracaju, por intermédio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), segue distribuindo os kits de alimentação escolar referente ao ano letivo de 2021.

Nesta quarta-feira (7), a entrega ocorre em dois pontos: Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Sérgio Francisco da Silva, no bairro Lamarão; e na EMEF Deputado Jaime Araújo, a qual contempla também a creche Maria Givalda da Silva Santos, ambas situadas no bairro Soledade.

Os kits, entregues desde o mês de abril de 2020, são compostos pelos alimentos que seriam distribuídos na merenda escolar, sendo equivalentes a uma refeição diária para os alunos do Ensino Fundamental e EJA e a quatro refeições diárias para os alunos da Educação Infantil.
 
O objetivo, conforme a Semed, é oferecer segurança alimentar, garantindo, desta forma, o desenvolvimento integral dos estudantes da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA) das 74 escolas da rede municipal que estão participando de aulas remotas em virtude da pandemia da covid-19.

Esta é a nona rodada de distribuição desde o início da pandemia. No encerramento do ano letivo de 2020, a Prefeitura alcançou a marca de 2 mil toneladas de alimentos distribuídos às famílias dos estudantes.

Cada aluno da rede tem direito a um kit e, para retirá-lo, é necessário que o responsável apresente documento de identificação pessoal e do aluno.
 
Logística
A distribuição dos kits tem um cronograma que prioriza bairros com maior índice de vulnerabilidade social e segue todos os protocolos de biossegurança. Para evitar aglomerações, os professores das respectivas escolas entram em contato com os pais ou responsáveis, por meio de um grupo no WhatsApp, onde é agendado, por turma, o dia e horário para buscar o kit.
 
Ao chegar na escola, é permitida a entrada de apenas um membro da família, que deve portar um documento pessoal e também o documento do estudante. O uso da máscara e o distanciamento social são obrigatórios. Além disso, a Semed disponibiliza, nas escolas, totens para higienização das mãos e aferição da temperatura.  

Em boa hora
A diretora da Emef Sergio Francisco da Silva, Delma Araújo de Oliveira, disse que a ação da Prefeitura é nobre e chega num momento delicado para as famílias.
 
"É muito importante para a população esse tipo de ação. A recepção da comunidade está sendo muito boa, porque nesse momento de pandemia, algumas famílias estão em situação de pobreza e os kits são imprescindíveis. É um direito que o aluno possui e a Prefeitura está disponibilizando para eles. Como as aulas ainda estão remotas, esse complemento da merenda está chegando para eles em casa", destaca a diretora, ao frisar que na unidade são beneficiadas cerca de 900 famílias.
 
Opinião semelhante tem Maria da Conceição Oliveira Teles, diretora da creche Maria Givalda da Silva Santos, unidade que está funcionando interinamente na Emef Deputado Jaime Araújo. Para ela, o kit, às vezes, é tudo o que uma família tem para comer naquele dia.
 
"Estamos funcionando, de forma provisória, na Emef Deputado Jaime Araújo, para a comunidade não ficar sem atendimento. Cerca de 150 famílias estão sendo beneficiadas. Essa distribuição de kits, desde o ano passado, tem sido muito importante. Aqui é uma comunidade carente e muitos não têm renda fixa. Muitas vezes, a alimentação que as crianças tinham era só a da creche e esse kit veio para suprir um pouco essas necessidades. Há relatos emocionantes de mães dizendo que não têm nada em casa para dar aos filhos. O kit veio para ajudar e às vezes não é só um complemento, é só o que eles têm", diz emocionada.
 
Agradecimentos
Geane Vieira da Silva, de 38 anos, tem três filhos matriculados na Emef Sérgio Francisco da Silva. Desempregada, ela faz questão de agradecer à Prefeitura pela distribuição dos kits. "Agradeço muito, porque a gente precisa. Estou, no momento, sem trabalhar e essa cesta é uma ajuda e tanto. Tenho três filhas que estudam aqui e sobrinhos também. É um complemento a mais em casa né, ainda mais com essa pandemia".
 
Carlos André Santos, 43, tem uma filha de 12 anos matriculada na Emef Sérgio Francisco da Silva. Afastado de suas atividades profissionais em virtude da pandemia, ele conta que está se debruçando como pode e o kit, na sua opinião, é um grande auxílio.
 
"Do jeito que as coisas estão, sem trabalho, esse kit é uma ajuda muito importante para complementar em casa. Trabalho no ramo de eventos e, no momento, por causa da pandemia, estou afastado. Minha filha está bem e doida para voltar a estudar presencialmente, por enquanto só aulas em casa", diz.
 
A dona de casa Neide dos Santos, 58, que tem uma filha matriculada na Emef Deputado Jaime Araújo, disse que o kit se faz importante para todos. "É uma ajuda boa. Estamos passando necessidade. Faço reciclagem na rua e sabemos que não vamos vender. Vivemos assim, só Deus ajudando".

Itamires Maria, 25, tem filho de 5 anos matriculado na creche Maria Givalda. Para ela, o kit é essencial. "Porque as coisas andam muito difíceis para conseguir um emprego. Com essa ajuda, eu mesma que trabalho fazendo 'bico', é de extrema importância".