Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Cultura

Funcaju apresenta à CMA políticas culturais que tornaram Aracaju referência na Lei Aldir Blanc

03/05/2021 19h13

Um diálogo sempre estreito, com o objetivo de esclarecer, discutir, informar e até celebrar as ações desenvolvidas no âmbito municipal. Assim tem sido a atuação da Prefeitura de Aracaju junto à Câmara Municipal (CMA) no exercício da atual gestão.
 
Nesta segunda-feira, 3, o presidente da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), Luciano Correia, atendeu ao convite dos vereadores que compõem a Comissão de Educação, Cultura e Esporte da CMA, e participou de uma reunião por videoconferência para apresentar as políticas culturais desenvolvidas pela Prefeitura, que colocaram Aracaju como referência nacional na execução da Lei Aldir Blanc, obtendo a sexta colocação no ranking de melhor aproveitamento dos recursos destinados para fomentar as cadeias culturais.

A reunião foi presidida pelo vereador Joaquim da Janelinha, e contou com a participação dos vereadores Pastor Diego e Professora Angela Melo. A Comissão conta ainda com os vereadores Binho e Sávio de Vardo, que na ocasião foram representados por assessores.

O presidente da Funcaju explanou que o Município ficou responsável pela aplicação de R$ 4.680,135 em dois incisos da Lei Aldir Blanc, voltados para sedes de grupos culturais, espaços voltados para a arte, e no fomento direto a projetos e produções de artistas de diversos segmentos.

“Nós fizemos um planejamento minucioso para executar a Lei Aldir Blanc dentro do prazo previsto, que era em 31 dezembro do ano passado. Para isso, montamos uma força-tarefa, que trabalhou intensamente semanas seguidas, para não corrermos o risco de devolvermos dinheiro à União. Quando o governo federal anunciou a prorrogação da Lei, em 29 de dezembro, nós já estávamos com 99% da Lei Aldir Blanc executada", explicou Luciano Correia.

O gestor cultural de Aracaju informou que, para conseguir englobar o máximo de artistas e segmentos, decidiu prorrogar os prazos de inscrições em três ocasiões, finalizando o processo com mais de 970 inscrições de projetos culturais. “Nós conseguimos contemplar 562 projetos, nos segmentos das artes visuais, audiovisual, música, teatro, dança, literatura, quadrilhas, brincantes, e tantas outras modalidades da arte”, completou.

Aos vereadores, o presidente da Funcaju esclareceu que todo o processo foi construído com consulta pública através de um site criado para esse fim, e reuniões com representantes das cadeias culturais, numa troca de sugestões e ideias para construção dos editais de maneira ampla e potencializada.

Unidades da Funcaju

Os membros da Comissão de Educação, Cultura e Esporte aproveitaram a oportunidade para tirar suas dúvidas sobre a execução dos projetos e o futuro das unidades da Funcaju. O presidente da Fundação reforçou que apesar da pandemia ter afetado diretamente o funcionamento dos espaços culturais da capital, a gestão segue planejando a ressignificação das unidades, com a perspectiva de potencializar as ações desenvolvidas, e permitir uma retomada dos espaços da melhor maneira possível, assim que as medidas sanitárias permitirem.

O encontro virtual foi encerrado com os projetos apresentados e dúvidas esclarecidas aos representantes do Legislativo, que, em tom de aprovação, elogiaram as políticas culturais desenvolvidas pela gestão municipal e reforçaram a importância das ações para o setor cultural.