Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Saúde

Vigilância Sanitária segue fiscalizando normas de biossegurança em escolas municipais

04/05/2021 16h30

A Prefeitura de Aracaju, por intermédio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), segue o trabalho de fiscalização nas escolas municipais, objetivando garantir o cumprimento das normas de biossegurança preventivas à covid-19. Nesta terça-feira, 4, foram inspecionadas as escolas Maria da Glória Macedo e Pierre Averon no bairro Industrial, e a escola Maria Clara Machado, no bairro Santos Dumont.

De acordo com a gerente de Serviços de Interesse à Saúde da Rede de Vigilância Sanitária e Ambiental (Revisa), Andreza Messias Imidio, as inspeções estão sendo retomadas em 14 escolas municipais.

“Durante as inspeções nas Unidades, nossa equipe averigua o que foi realizado de adequação. Lembrando o que deve ser cumprido o que foi preconizado no protocolo sanitário de retomada das aulas presenciais. A exemplo das carteiras nas salas de aula, se elas estão a um distanciamento de 1,5 metro a 2 metros; se existe ventilação nas salas com janelas, ou se possui ventiladores e se estes estão adequados a cada sala. Também é orientada a demarcação das carteiras para que os alunos não troquem de assento, e a higienização das mãos com álcool em gel ou álcool 70%”, explica.

Para o coordenador de Programas e Projetos da Secretaria Municipal da Educação (Semed), Edilson Nunes, esse trabalho da Vigilância Sanitária é fundamental na preparação das unidades escolares da rede municipal para o recebimento dos alunos na volta das atividades presenciais. 

“Nesse momento de preparação para este retorno, é preciso que todas as escolas estejam de acordo com as normas sanitárias, para que a gente consiga atender os alunos com maior segurança possível neste momento de pandemia”, enfatizou.  

Dados e denúncia
No item limpeza e desinfecção, caberá às escolas intensificar a frequência dos procedimentos de limpeza e desinfecção de instalações sanitárias e todas as superfícies de grande contato. Sobre o controle de temperatura, as unidades de ensino devem aferir a temperatura corporal dos funcionários e alunos na entrada, restringindo o acesso e orientando a buscar o Sistema de Saúde caso esteja acima de 37,8ºC ou apresentem sintomas respiratórios.

No caso de pessoas que apresentem suspeita de infecção pelo coronavírus, as escolas devem criar um ambiente para promoção do isolamento imediato de qualquer pessoa que apresente os sintomas característicos da doença, orientando-a e a seus familiares a seguirem os procedimentos indicados pelas autoridades de saúde pública.

Quanto ao transporte escolar, o protocolo estabeleceu que o motorista do veículo e a equipe de suporte devem desinfetar e higienizar o veículo duas vezes ao dia e garantir o uso de máscara por todos, além de planejar para que os assentos fiquem espaçados.
 
Em relação às medidas individuais, o protocolo determina a higienização das mãos; o uso obrigatório de máscaras; o não compartilhamento de alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal; e a aplicação da etiqueta respiratória.

A atuação da Vigilância Sanitária é voltada para orientação e, quando fiscaliza as adequações necessárias, as equipes do órgão determinam um prazo de retorno. Havendo o descumprimento das medidas nos estabelecimentos da capital, as denúncias podem ser realizadas junto à Ouvidoria da Secretaria Municipal da Saúde, pelo telefone 0800 729 3534, digitando a opção 7.