Prefeitura Municipal de Aracaju/SE

Complexo viário proporciona fluidez ao trânsito e mobilidade urbana

Quem passa pelo Complexo Viário Governador Marcelo Déda sente a diferença na região. O que antes significava transtorno, hoje representa mobilidade e desenvolvimento urbano.  A obra inaugurada em fevereiro de 2014, contou com um investimento de mais R$ 34,5 milhões, proveniente de um contrato com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Prefeitura Municipal de Aracaju. Esse recurso foi liberado na gestão passada do prefeito Edvaldo Nogueira.

Segundo o supervisor da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), Haroldo Cardoso, o complexo representou um marco na história da capital. "Em Aracaju, somente as avenidas Beira Mar e Heráclito Rollemberg ligavam a zona Sul ao Centro e à zona Norte. Por isso, havia a necessidade de se construir a avenida Paulo VI para desobstruir as grandes vias. Quando as pessoas iam para a Atalaia, por exemplo, tinha somente a Beira Mar. Se iam para o Orlando Dantas ou Augusto Franco, Heráclito Rollemberg. Isso gerava engarrafamentos imensos", colocou.

O supervisor disse ainda que a avenida Paulo VI, que passa embaixo do Mergulhão, é um polo gerador de trânsito residencial. "É uma outra cidade que vai do Augusto Franco, Santa Maria, 17 de Março ao Mosqueiro. Aracaju tem crescido bastante nos últimos dez anos. Houve um boom imobiliário. O Augusto Franco é praticamente uma cidade, com cerca de 50 mil habitantes. O prefeito Edvaldo Nogueira deixou tudo pronto na última gestão. Ele pensou no futuro, na qualidade de vida do povo aracajuano", destacou Haroldo.

Desenvolvimento

Aos finais de semana, o engenheiro químico Carlos Fernandes, faz questão de visitar o irmão no bairro Inácio Barbosa. Ele conta que antigamente precisava fazer um trajeto longo, mas ficou mais fácil de chegar ao destino por causa do mergulhão. "Eu não moro nesse bairro, mas sempre estou aqui. Antigamente, a avenida era muito larga. Quando a Prefeitura começou a obra, muita gente se voltou contra. Ninguém aprovava a diminuição das calçadas. Hoje, a gente vê que o fluxo para o Farolândia melhorou significativamente. Eu digo que esse bairro virou um bairro nobre, está ótimo para morar", disse.

Quem reside na região também está satisfeita. É o caso da professora Patrícia Ramos. Moradora do bairro há 25 anos, ela garante que a obra trouxe crescimento para a localidade. "Fim de semana o morador que gosta de se divertir nem precisa ir a outro local. Aqui, tem vários bares e restaurantes. Quem quiser bater um papo com os amigos pode ficar por aqui mesmo. Os estabelecimentos viraram atração. Valorizaram bastante a região. Outra questão que a gente notou muito foi o número de assaltos. Eles eram constantes, pois o bairro era parado. Agora, está bem movimentado, a gente se sente mais à vontade para ir a uma padaria", afirmou.

Com a inauguração da obra, a região ganhou ares comercias. Vários estabelecimentos foram abertos. O empresário Tiago Marcel Bigi não perdeu tempo e abriu uma clínica veterinária há pouco mais de três anos. Segundo ele, a conclusão do Mergulhão foi um dos fatores para inaugurar a clínica. "Para nós comerciantes foi maravilhosa a conclusão dessa obra. Melhorou bastante o fluxo de veículos aqui na região. Antes, ele fluía de forma bem lenta. Hoje, não enfrentamos engarrafamentos, não temos problemas com o trânsito. Graças a Deus está tudo indo bem", contou o empresário.