Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Agência Aracaju de Notícias

Ranking da segurança pública: Aracaju reduz violência em 20,4%

09/08/18 18h20

O Fórum Brasileiro de Segurança Pública divulgou nesta quinta-feira, 9, dados sobre mortes violentas em 2017, que são as seguintes: homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e confronto. Entre as capitais, Aracaju saiu do primeiro lugar para o sétimo, com uma taxa de 55,7. A redução foi de 20,4%.

Entre as capitais, Rio Branco (AC) assumiu a liderança com 83,7 e Fortaleza (CE) é a segunda colocada com 77,3. Belém (PA) ficou em terceiro com 67,5 e Natal (RN) logo em seguida com 67,2. Macapá (AP) fechou a lista das cinco capitais mais violentas com 65,9. As taxas divulgadas trazem uma estatística para cada 100 mil habitantes. Entre os estados brasileiros, o Rio Grande do Norte é quem tem o maior número: 68. O Acre vem em segundo com 63,9 e o Ceará é o terceiro com 59,1. Com uma redução de 12,9%, o Sergipe deixou a liderança no ranking e agora aparece em sexto lugar com uma taxa de 55,7.
 
Para o secretário municipal da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), coronel Luís Fernando Almeida, os números animam e apontam que a gestão municipal está no caminho certo. “No programa de governo de Edvaldo Nogueira, a gente já trabalhava indicativos, ações, para que pudéssemos contribuir pra melhoria da qualidade de vida, melhorar a atuação da Guarda Municipal e diminuir esses índices ruins. E foi isso que aconteceu”, disse.

De acordo com ele, a atuação da Guarda Municipal contribuiu para a redução das mortes violentas em 2017, seja com as diversas ações preventivas realizadas ou com a parceria firmada com a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP). “A integração proposta pelo prefeito com reuniões com o secretário de Segurança e a Guarda Municipal para que houvesse uma atuação conjunta frutificou. Outra coisa que a gente tem que ressaltar é a prevenção. Um dos projetos do nosso planejamento estratégico é o projeto Aracaju Segura, que tem diversas ações na intersetorialidade, envolvendo várias secretarias municipais, dialogando com as comunidades, sabendo quais dificuldades e problemas, trazendo isso para o nosso planejamento de ações para que a gente agisse de forma inteligente, como continuamos agindo”, ressaltou.

Ainda segundo o coronel Luis Fernando, a atuação da Guarda Municipal com rondas preventivas foi fundamental, principalmente as ações desenvolvidas nos terminais de integração. “Nós temos uma atuação da Guarda que marca profundamente a questão do transporte público, haja vista que em 2016 nós tivemos 1088 assaltos a ônibus e isso foi reduzido para 683 na gestão de Edvaldo Nogueira no ano seguinte, uma queda de 37% nos assaltos a ônibus nesse período. A sensação de segurança das pessoas que passam pelos terminais também mudou. Dentro disso, o investimento em tecnologia, o ônibus de videomonitoramento, que tem uma profundidade de busca de imagens, imagens que nós estamos catalogando e que vão ser muito úteis para planejamento e reconhecimento de pessoas”, pontuou.

Prevenção

O diretor-geral da Guarda Municipal de Aracaju, o subinspetor Fernando Mendonça, destaca também a contribuição dada pela GMA por meio das rondas. Presente em todas as regiões da capital com rondas e efetivo nos prédios e espaços públicos, atualmente a GMA atua com grupamentos especializados: a Ronda da Capital (Rondac), Grupo Tático Operacional (GTO), Ronda dos Mercados (Rondam), Grupo Especializado de Moto Patrulhamento (GEM), Ronda Escolar e Ciclo Patrulhamento.

Para somar as rondas, há a Operação Terminal Seguro, que visa intensificar a segurança nos terminais de transporte público, dentro de ônibus e pontos espalhados pela cidade. A Operação atua estrategicamente em horários e locais onde mais acontecem os assaltos, conforme dados identificados após a análise realizada pela Coordenadoria de Estatística (Coest) da GMA.

“No início de 2017 nós começamos com a Operação Terminal Seguro porque os índices de criminalidade no transporte público estavam muito altos e de lá para cá até hoje os índices vêm diminuindo cada vez mais. A partir do momento em que essa ação preventiva é feita, acaba inibindo esse tipo de ações no transporte público”, disse o subinspetor Fernando Mendonça.

A Guarda Municipal também está presente na região dos mercados centrais de Aracaju por meio da Ronda dos Mercados (Rondam). “A Rodam que faz um trabalho muito bom na área interna e no seu entorno. O número de arrombamentos zerou depois da nova formatação que fizemos e também o atendimento no terminal”, pontuou.

Existem também as rondas feitas pelo Ciclo Patrulhamento, que atua no Calçadão da 13 de Julho, na Praia Formosa e no Parque Augusto Franco, e o Grupo Especializado de Moto Patrulhamento (GEM), que dá apoio e suporte a toda estrutura de serviços, já que o deslocamento de motocicleta pra atender ocorrência é mais rápido. Além desses, as ações referentes às escolas, unidades de saúde e assistência social resultam numa maior segurança a quem frequenta esses locais diariamente.

Para o diretor-geral da Guarda Municipal, a ação preventiva através da ostensividade impacta diretamente na redução da criminalidade, visto que a presença da GMA inibe a ação e até a presença dos marginais nos locais. “O trabalho que nós temos de visitar diariamente as escolas através da Ronda Escolar faz com que a Guarda iniba várias ações, visto que transita com a viatura identificada. Já nas unidades de saúde e assistência social, nós também acompanhamos diariamente com visitas e demais ações que fazem com esses locais fiquem mais seguros”, observou.

A partir deste mês, o sistema de videomonitoramento implantado pela Prefeitura de Aracaju ganhou mais um recurso que promoverá a otimização dos processos de segurança na capital. Todas as viaturas da GMA passaram a contar com um equipamento que permite visualizar as imagens de todas as câmeras já instaladas em equipamentos públicos, assim como ativam recursos que garantem maior precisão e agilidade ao atendimento de ocorrências. “O sistema de videomonitoramento, os guardas podem acompanhar de dentro das viaturas, tem também a colaborar muito”, finalizou.