Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Obras e Urbanização

Cidade humana: bairro Dom Luciano obedece diretrizes do Planejamento Estratégico

08/01/19 17h37

Aracaju cresce, desenvolve-se, aumenta a população, e isto cria a necessidade de atualizar o planejamento urbano e a ordenação dos eixos de crescimento da cidade. Foi o que embasou e legitimou a sanção da lei municipal, oriunda do Poder Legislativo, que cria o bairro Dom Luciano, abarcando cerca de dez loteamentos situados antes nos bairros Cidade Nova, Lamarão, Japãozinho e Santos Dumont, com quem fará divisa, possuindo uma população estimada entre 25 e 30 mil moradores.

O mais novo bairro de Aracaju nasce a partir da vontade de vários grupos organizados e alinhado com a filosofia administrativa da gestão municipal, que pretende transformar a capital sergipana em uma cidade mais humana. "Foi dialogando com os representantes do Legislativo, com a população, e buscando soluções sociais e urbanísticas para equacionar os gargalos existentes que o prefeito Edvaldo Nogueira acatou a decisão da Câmara de Vereadores e sancionou esta lei, que veio em muito boa hora. O Dom Luciano já nasce com obras em andamento e com perspectiva de que projetos sejam licitados ainda este ano", ressalta o secretário municipal da Infraestrutura, Sérgio Ferrari, acrescentando que esta medida também faz parte do Planejamento Estratégico.

Para o diretor de Urbanismo da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), Avilé Dantas, com a criação do Dom Luciano os poderes públicos poderão acompanhar e intervir na expansão das diversas comunidades que constituem o bairro, possibilitando análises e diagnósticos que vislumbrem a derrubada de barreiras sociais e geográficas. "Por estar situado em locais de altitudes e loteamentos sem infraestrutura, o Dom Luciano terá a atenção, o empenho e todo o trabalho da Prefeitura para estabelecer diretrizes socioeconômicas e uma melhor descentralização das ações de governo", afirma Dantas.

Entusiasta da criação do bairro que homenageia um dos clérigos mais queridos e importantes da Igreja Católica, o padre Marcelo Conceição não esconde a satisfação de finalmente ver no semblante da sua comunidade o senso de pertencimento. "Nas missas, quando perguntava onde moravam, havia muita confusão por não saber ao certo o nome do bairro, ou até vergonha por dizer o nome da comunidade. Foi então que me somei a muitas outras pessoas e levei a ideia adiante, e fizemos chegar aos representantes do povo, que ouviram nosso desejo e atenderam nosso pleito. Agradeço ao prefeito Edvaldo Nogueira por este belo presente ao povo desta região", comemora o padre, que há sete anos está à frente da paróquia local.

Moradora do agora bairro Dom Luciano e voluntária em ações da paróquia, a servidora pública Ana Paula dos Santos estampa no rosto a alegria pela medida administrativa que elevará a autoestima de quem vive na área. "Além de homenagear um homem abençoado, como foi Dom Luciano, teremos nosso endereço oficial, que constará em todos os cadastros dos órgãos. Para nós é um presente e que a força divina presente no nome deste santo padre e a vontade dos gestores desta cidade tragam muitas coisas boas para nosso bairro", diz a moradora.

Sobre o novo endereçamento postal e a nomenclatura das ruas, o secretário Ferrari diz que as providências que couberem à Emurb serão tomadas. "Encaminharemos aos Correios as informações necessárias sobre os limites do novo bairro, mas a criação de CEP e outras medias serão tomadas pela empresa de postagem. Já no caso de vias que ainda não sejam denominadas, a Câmara de Vereadores deverá providenciar as leis correspondentes e para que as placas e sinalizações sejam postas nas vias", finaliza Ferrari.