Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Agência Aracaju de Notícias

17 de Março vai abrigar a primeira maternidade pública municipal

12/04/19 08h54

Dar a luz a uma criança é uma fase muito importante na vida de uma mulher e, para isso, são necessários cuidados e as devidas condições, garantindo um parto digno e seguro. Por isso, na sua gestão passada, o prefeito Edvaldo Nogueira desenvolveu um projeto para construir uma maternidade no bairro 17 de Março, a primeira maternidade municipal de Aracaju. No entanto, o projeto foi esquecido pela administração anterior e o sonho das mulheres dessa comunidade também. Com esforços da atual gestão, o projeto voltou a caminhar, a obra foi autorizada e já começou a sair do papel. 

Com um investimento de quase R$17 milhões, fruto de um convênio com o Governo Federal, além do 17 de Março, a maternidade contemplará, diretamente, os bairros Santa Maria, São Conrado, Atalaia, Coroa do Meio, Aeroporto, Farolândia e toda a Zona de Expansão. A ordem de serviço para retomada da obra foi dada no último sábado, 6, e a previsão é de que a obra esteja pronta em 2020. 
 
A dona de casa Jussara Barbosa, moradora do bairro desde sua fundação, explica que antes a situação era complicada para as mulheres da região, mas, agora, uma nova história é iniciada. “A construção dessa maternidade significa o respeito do poder público com a população dessa região. As mulheres tinham que se deslocar para muito longe para fazer o parto e, com a chegada dessa maternidade, vai beneficiar, e muito, essa comunidade. A população do 17 de Março está ganhando muito em qualidade de vida através da decisão do prefeito de Aracaju, de estar trazendo benefícios para essa região”, declarou. 

Para o prefeito Edvaldo Nogueira, a construção da maternidade tem dois significados: “O primeiro é pela importância que esta obra representa, pois, será a primeira maternidade pública municipal da nossa cidade, o que fará dela uma referência; o segundo ponto é que a maternidade é a última obra que a gente faltava realizar no bairro 17 de Março, então, assinar a ordem de serviço no último sábado foi muito emocionante”. 

A maternidade terá capacidade para mais de 500 partos por mês. Serão cerca de 50 leitos de média complexidade. Sua estrutura contará com 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva neonatal  (UTIn); 10 leitos de Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Convencional (UCINCo); cinco leitos de Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Canguru (UCINCa); 50 alojamentos conjuntos (mãe e bebê agrupados); duas salas cirúrgicas com três leitos de recuperação pós anestésica; três leitos de cuidados intermediários; dois leitos de estabilização; nove leitos de aplicação de medicação e observação, e oito quartos PPP. 

Para retomar a obra, a atual gestão municipal realizou adequações no projeto dentro das normas de acessibilidade, de acordo com as exigências do Ministério da Saúde. A secretária da Saúde, Waneska Barboza, conta que é muito especial poder retomar esse projeto e torná-lo realidade.  “Quando nós retornamos, em 2017, tivemos todo um trabalho de refazer o projeto, inclusive, para adequarmos as normas de acessibilidade e agora estamos com a satisfação de poder, daqui a mais ou menos um ano, entregar essa obra a comunidade”, disse.