Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Educação

Semed participa de debate sobre fechamento de escolas rurais

11/06/18 15h41

Na manhã desta segunda-feira, 11, a secretária municipal da Educação, Cecília Leite, foi uma das participantes da mesa de debates no seminário 'Fechamento de escolas rurais em Sergipe: aspectos legais e abordagens'. O evento discutiu a realidade das escolas rurais do estado e aconteceu no auditório do Ministério Público Estadual (MPE/SE). Cecília Leite representou a Prefeitura de Aracaju e a Secretaria Municipal da Educação (Semed).

Com palestras expositivas, o seminário levou especialistas em educação e representantes de entidades públicas e da sociedade civil para discutir os problemas relacionados ao fechamento de escolas de zonas rurais, assim como instituições multisseriadas e transporte escolar. Com informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a partir de pesquisas científicas, foram expostos dados e discutidas soluções para os problemas educacionais enfrentados pela população rural. 

“A escola rural é uma realidade que não temos em Aracaju, mas aprendemos muito sobre a legislação e normatização dessas instituições. Nos ajudou a entender esse aluno que vem do campo, perceber que aluno é esse e de que contexto ele vem e, assim, poder acolhê-lo de uma forma eficiente quando ele vier para a nossa rede”, afirma Cecília.

Na abertura do evento, o promotor de Justiça José Roni Silva Almeida falou sobre a importância de debater o tema e dos problemas gerados pelos fechamentos dessas escolas. “Tudo é questão de bom senso. Para uma escola ser fechada, a decisão não pode ser tomada dentro de um gabinete fechado por três ou quatro pessoas. A comunidade deve ser consultada antes de os alunos serem remanejados para outro lugar”, destacou.

Dados

A professora da rede municipal Elis Santos Correia, que também é mestre em Educação pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), apresentou resultados da sua dissertação de mestrado sobre  os fechamentos e paralisadas. Na sua pesquisa, ela constatou que, de 2007 a 2016, 404 escolas rurais foram fechadas no estado de Sergipe. 

“As principais justificativas das gestões são o enxugamento de gastos, o baixo número de alunos matriculados e as turmas multisseriadas. Mas percebemos que o campo nunca foi prioridade, que o universal não está sendo universalizado”, disse. Das 404, 296 foram extintas e 108 estão com o status de paralisada. As regiões que mais registraram fechamentos foi o centro-sul e o alto sertão, regiões com maior número de assentamentos de reforma agrária.