Perimetral Oeste: construção da nova avenida melhorará mobilidade urbana em Aracaju

Agência Aracaju de Notícias
26/10/2023 10h00

Planejada como uma forma de ampliar as opções de deslocamento na zona norte da capital, especialmente pelo fluxo de trânsito entre Aracaju e Nossa Senhora do Socorro, a construção da avenida Perimetral Oeste, executada pela Prefeitura de Aracaju, por meio da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), segue em ritmo célere e em breve trará retornos positivos para a qualidade da mobilidade urbana em ambos os municípios.

Quando pronta, a avenida Perimetral Oeste terá uma extensão de 7,5 km, largura de 9,5 m e contará com três faixas de rolamento, sendo uma exclusiva para o transporte público, ciclovia e acessibilidade. Para construir a via, que é um dos principais projetos do Programa de Requalificação Urbana de Aracaju, financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a Prefeitura investe cerca de R$ 150 milhões. O projeto é robusto e foi dividido em quatro etapas, de acordo com a complexidade de cada área. Três destas etapas já começaram a ser executadas.

A etapa I diz respeito à construção de uma ponte sobre o Riacho do Cabral, ligando os bairros Bugio e Soledade, e terá extensão de 337,4 metros de comprimento e 26,4 metros de largura; duas pistas de rolamento, cada uma com três faixas, sendo uma delas exclusiva para ônibus; além de passeio lateral para pedestres e uma ciclovia no eixo central.

A etapa II compreende a ligação entre os bairros Bugio e Jardim Centenário, partindo da intersecção localizada logo após o fim da ponte situada sobre o Riacho do Cabral. Este trecho chegará até o limite com o município de Nossa Senhora do Socorro, interligado com a rodovia Lauro Porto.

Já na etapa III está sendo construída a via de intersecção do bairro Lamarão até a avenida Juscelino Kubitschek. A avenida partirá da divisa com o município de Nossa Senhora do Socorro, seguindo paralelamente às avenidas General Euclides Figueiredo e Paulo Figueiredo Barreto, passando pela rotatória do Lamarão e vai até a Soledade. Este trecho terá 4,4 km de extensão, somando seus dois sentidos.

O impacto positivo para a mobilidade urbana será sensível, uma vez que a rota mais utilizada para o trajeto Aracaju-Nossa Senhora do Socorro é a avenida Euclides Figueiredo, que tem registrado lentidão no trânsito, por conta do alto fluxo de veículos e a limitação no número de faixas disponíveis.

“A ideia é oferecer uma alternativa a uma das vias mais saturadas atualmente na capital, que é a Euclides Figueiredo, de maneira a possibilitar maior fluidez no trânsito, com redução no tempo de deslocamento entre as cidades. Vai ser melhor para a mobilidade urbana, também para o desenvolvimento da região e, claro, para a população”, aponta o superintendente municipal de Transportes e Trânsito, Renato Telles.

O novo eixo viário trará, então, benefícios em diferentes aspectos, como melhor trafegabilidade, sobretudo na região norte, e elevação de padrão social, com a instituição de uma nova fronteira de desenvolvimento econômico,  como destaca o secretário municipal da Infraestrutura e presidente da Emurb, Sérgio Ferrari.

“A primeira concepção do projeto foi desafogar a avenida Euclides Figueiredo, que é uma via saturada, que liga Aracaju a Socorro, e que não poderia ser alargada, por conta da densidade populacional na área, o comércio e as moradias. A ideia, então, foi criar uma via paralela, de maneira que pudéssemos criar uma alternativa até o Santos Dumont. Com a nova avenida nós estamos interligando o Soledade ao Bugio, proporcionando um outro vetor de desenvolvimento para a cidade, com grande possibilidades de os veículos que vêm da BR 101 poderem circular por lá e chegar até o Centro da capital, por exemplo. Então, além de resolver um problema de mobilidade, podem proporcionar crescimento e desenvolvimento ao município”, ressalta Ferrari.