Semict discute índice de competitividade com UFS

Indústria, Comércio e Turismo
09/02/2015 18h45

O secretário Municipal da Indústria, Comércio e Turismo, Walker Martins Carvalho, reuniu representantes dos cursos de turismo da Universidade Federal de Sergipe (UFS) para discutir os resultados do Índice de Competitividade do Turismo Nacional / Destinos Indutores do Desenvolvimento Turístico Regional do Ministério do Turismo em parceria com o Sebrae Nacional e com a Fundação Getúlio Vargas.

A reunião teve como objetivo principal fazer uma releitura dos últimos resultados e tê-los como parâmetros para alcançarmos pontuações cada vez mais crescentes na próxima avaliação.

Aracaju é parte integrante dos ‘'65 Destinos Indutores'' que vêm sendo avaliados desde o ano de 2007 através de uma metodologia aplicada que gera índices de competitividade em 13 dimensões ligadas à atividade turística, permitindo analisar o nível de desenvolvimento dos destinos turísticos.

O secretário Walker Carvalho solicitou dos presentes o máximo de comprometimento com o assunto em pauta e pediu a contribuição para que tudo possa ocorrer dentro da realidade, porém com um empenho maior das partes envolvidas, uma vez que os resultados desta pesquisa são gerados a partir de respostas coletadas por pesquisadores da Fundação Getúlio Vargas nos municípios em visita a campo.

Como não ocorreu a pesquisa no ano de 2012, foram avaliados resultados dos anos de 2011, 2013 e 2014, onde foram detectadas algumas deficiências porém vale ressaltar grandes avanços a exemplo de Infraestrutura, Serviços e Equipamentos Turísticos, Atrativos Turísticos, Políticas Públicas, Cooperação Regional, Monitoramento e Aspectos Ambientais.

Das 13 dimensões, Aracaju precisa avançar em 06 que são: Acesso, Marketing e Promoção do Destino, Economia Local, Aspectos Sociais e Aspectos Culturais.

No Índice Geral nossa capital avançou significativamente e pode avançar mais. Para tanto foi sugerido pelo secretário Walker a inclusão do Centro Cultural de Aracaju no processo de construção destes novos índices bem como informar da parceria com a Universidade Federal de Sergipe para dimensão, ação e monitoramento.

Durante a reunião foram discutidas ações pertinentes à conjunto arquitetônico sinalização reforma dos mercados, estudo de carga e descarga, encaminhar tabelas de planejamentos com setores do segmento a exemplo da ABIH/SE, realização de pesquisas de perfil do turista e conferência de dados com a Emsetur e Fecomércio.

Para Walker Martins Carvalho, esta reunião se fez necessária devido à sua importância que exige dos órgãos envolvidos muita seriedade e comprometimento. "É a partir da identificação e do acompanhamento de aspectos objetivos, e da geração de um diagnóstico da realidade local, que tornamos mais viável a definições de ações e de políticas públicas que visem o desenvolvimento da atividade turística. É preciso muita seriedade e comprometimento dos órgãos envolvidos uma vez que o resultado é consequência de informações sobre planejamento e desenvolvimento de vantagens competitivas norteadas por ações que eliminem gradativamente, os entraves ao desenvolvimento sustentável da atividade turística", disse.

"O objetivo deste Índice de Competitividade é permitir que os destinos estudados utilizem essas informações para avançar nos índices e nós não mediremos esforços para alcançarmos este objetivo de forma ativa não somente em dados estatísticos, mas em uma realidade vivida por todos os Aracajuanos e visitantes que escolherem Aracaju como destino turístico seja com fins comerciais ou de lazer", finalizou Walker.

Participaram da reunião Fábio Andrade, Diego da Costa e Chris Costa Pedral (Semict), Taís Alexandre A. Paes (Turismo/UFS), Carlos Moisés de Lima Santos (Turismo - UFS), Joab Almeida (Turismo/UFS) e Viviane Castro (Turismo/UFS).