Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Agência Aracaju de Notícias

Em #livecomEdvaldo, prefeito reafirma gestão voltada para a eficiência e ética

10/09/18 22h12

O prefeito Edvaldo Nogueira realizou nesta segunda-feira, 10, mais uma #livecomEdvaldo. Com o intuito de aumentar ainda mais a participação dos aracajuanos, o evento foi realizado de forma a dar mais tempo para responder às perguntas enviadas. Na oportunidade, o gestor reafirmou seu compromisso com a ética e a eficiência do serviço público municipal. 
 
Diferente do que aconteceu nas lives anteriores, quando o prefeito discorria sobre temas de relevância pública municipal ou informava sobre suas ações mais recentes, esta foi iniciada com mais espaço para a participação do cidadão com Edvaldo buscando responder o máximo de internautas possível. 
 
Os questionamentos vieram de aracajuanos de todas as regiões.  Lucas Matheus, por exemplo, perguntou sobre a possibilidade de fechamento do canal na avenida Silvio Teixeira. O prefeito explicou que este local precisaria de alargamento e aprofundamento, diferente dos que já puderam ser fechados como Canal 3, 4 e 5, portanto um investimento maior se faria necessário o que não é possível na atual situação financeira da Prefeitura de Aracaju. Ainda assim, Edvaldo afirmou que irá elaborar o estudo e que pretende até o final de seu mandato seguir fechando canais na cidade. 
 
Danilo Mendonça apresentou dúvida sobre o recapeamento de ruas no Jardins. Segundo o prefeito, as obras que já estão em andamento na região são fruto de verbas resgatadas junto ao Governo Federal e que o Plano de Mobilidade Urbana de Aracaju, que já está sendo executado, prevê um grande corredor para a área. 
 
Por sua vez, Laine Leles, perguntou sobre a retomada das obras na maternidade do 17 de Março. “Esse foi um projeto que eu deixei ainda na outra gestão, em 2012, mas que infelizmente ficou paralisado. Uma nova versão precisou ser feita, pois a gestão anterior não seguiu os planos deixados. A Caixa liberou hoje a licitação, então, eu acredito, que em janeiro a obra deverá ser iniciada”, esclareceu. 
 
Também foi tema a greve dos médicos na rede municipal. Edvaldo ressaltou que a Prefeitura de Aracaju sempre esteve aberta ao diálogo com a categoria, mas que o reajuste pedido por eles colocaria em risco a estabilidade financeira do município. Além disso, não seria justo conceder o aumento apenas para uma categoria. Ele também relembrou que mais de cinco mil processos de direitos dos servidores foram colocados em dia e os salários, que estavam atrasados, foram regularizados, ou seja não adianta dar reajustes por populismo ou demagogia.  
 
Também repercutiram os questionamentos sobre o pagamentos dos artistas que performaram no Forró Caju. “Eu tinha uma audiência marcada com o ministro da Cultura, mas ele precisou cancelá-la por conta do que ocorreu no Rio de Janeiro, o incêndio do Museu Nacional. O trabalho está sendo feito para que os recursos sejam liberados. O que está ocorrendo são questões burocráticas do órgão Federal. Basta observar que aqueles que firmaram contrato diretamente com a Prefeitura já receberam”, afirmou. 
 
Houve espaço também para elogios. Manuel Messias, por exemplo, afirmou que o prefeito está no caminho certo.  Ressaltou que, mesmo com as dificuldades, o pagamento dos servidores não atrasa e que a cidade está tomada por obras importantes. O jornalista Jesus Filho, direto do Rio de Janeiro, também elogiou a maneira como o prefeito está conduzindo a cidade. O aracajuano Tiago Soares comentou sobre a satisfação de encontrar Edvaldo no desfile de 7 de setembro, na avenida Barão de Maruim, e poder abraçá-lo para demonstrar sua felicidade com a boa administração. 
 
Por fim, o prefeito Edvaldo prestou conta das demandas apresentadas na live anterior. Como por exemplo, a reconstrução do muro derrubado no Augusto Franco. Ele esclareceu que o serviço foi feito, mas que voltaram a derrubar, então enviará a Guarda Municipal ao local para garantir o atendimento da solicitação. Thais Nascimento havia reclamado da falta de curativos no posto de saúde do bairro Getúlio Vargas. Se tratava de um problema com ar-condicionado na unidade, que foi resolvido, possibilitando o reabastecimento dos insumos.