Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Saúde

Prefeitura instala armadilhas luminosas para capturar mosquito transmissor da leishmaniose

25/03/19 18h15

A Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) trabalha durante todos os dias para promover saúde aos aracajuanos. Uma ação muito importante realizada pelos agentes de combate às endemias do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) é a instalação e retirada de armadilhas com iscas luminosas para capturar o flebotomíneo, mosquito transmissor da leishmaniose visceral, doença conhecida como calazar.

Desde o início deste ano a instalação de armadilhas já foi realizada nos Conjuntos Médici I e II, Manoel Preto (Santo Antônio), no Parque da Sementeira e no bairro Dom Luciano. "A captura dos mosquitos através das armadilhas luminosas é 100% realizada nos bairros onde houve casos humanos de leishmaniose e que não temos o histórico da presença do flebotomíneo naqueles locais. É um trabalho constantemente realizado pela equipe do CCZ para termos os dados e combater os mosquitos, através das ações de educação em saúde", explicou a coordenadora do CCZ, Marina Sena.

Processo

De acordo com o supervisor do Programa Municipal de Controle da Leishmaniose Visceral (PMCLV), Wilson de Oliveira dos Santos, os mosquitos são capturados e enviados para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) para identificar o tipo de vetor. O flebótomo tem várias espécies, porém a mais comum em Aracaju é a Lutzomyia longipalpis, responsável pela transmissão da leishmaniose visceral. "Para ter certeza da identificação da espécie do mosquito enviamos para o Lacen", disse.

O flebotomíneo tem hábitos noturnos, por isso, é utilizada a armadilha com isca luminosa para atraí-lo. "Nós instalamos nos quintais das pessoas, das 17h30 até às 19h30. A armadilha passa três dias consecutivos lá e depois retiramos das 5h30 até às 7h30 da manhã. Solicito que as pessoas deixem os agentes de combate às endemias entrarem nos quintais das casas que têm árvores e que criam cavalos, enfim, que tenham material orgânico para instalarmos as armadilhas", pediu.

Cuidados

O supervisor do Programa Municipal de Controle da Leishmaniose Visceral (PMCLV), Wilson de Oliveira dos Santos, informa que para evitar a proliferação dos mosquitos é necessário cuidar da limpeza do quintal, dos terrenos baldios, além da poda de árvores e limpeza de praças, que é um trabalho realizado pela Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb). "Porque os mosquitos se proliferam onde tem material orgânico, como fezes de animais, folhas de árvores e acúmulo de lixo", alertou.