Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Saúde

No combate à covid-19, voluntários doam protetores faciais à Prefeitura de Aracaju

03/04/2020 16h20

Somando esforços no combate à covid-19. Assim tem trabalhado a Prefeitura de Aracaju, que além de mobilizar uma atuação conjunta entre as diversas secretarias, tem contado com o apoio e parceria de empresas privadas, bem como de iniciativas voluntárias de pessoas físicas. E nessa força-tarefa contra o novo coronavírus, a Secretaria Municipal da Saúde ganhou mais um parceiro importante no que se refere aos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

O Projeto Cuidar, que surgiu a partir da iniciativa de cerca de 100 voluntários de todas as partes do estado, doou a primeira remessa de protetores faciais (47 equipamentos), que serão destinados aos profissionais de saúde que atuam no Hospital Fernando Franco.

A iniciativa partiu do Núcleo Jurídico (Nujur) da SMS, por meio do diretor jurídico, João Vitor Burgos Mota e da servidora Leila Oliveira. “Por meio das redes sociais conhecemos o trabalho desse projeto e entramos em contato para saber como eles poderiam se somar às ações da Secretaria. É uma parceria importante por reforçar o fornecimento desses equipamentos que já vem sendo feito pela Secretaria e que auxiliam o trabalho dos profissionais de saúde no atendimento aos pacientes com a covid-19”, explica o diretor.

Além da entrega da primeira remessa produzida pelos voluntários, a idealizadora do Projeto Cuidar, Stephanie Kamarry, apresentou protótipos de novos EPIs, sendo um óculos de proteção e outro modelo de protetor facial feito com material diferente do entregue na primeira remessa da doação. Os equipamentos serão validados pela equipe técnica da SMS e posteriormente produzidos em escala para ampliar o fornecimento de EPIs aos profissionais da rede municipal.

“Costumo dizer que somos uma fábrica descentralizada, um trabalho feito em conjunto, onde cada voluntário oferta o que de melhor sabe fazer. Conseguimos reunir profissionais da área de marketing, jurídica, outros técnicos se dedicam à impressão dos equipamentos. Também temos um setor de logística, outros que atuam na montagem e produção e vamos realizando a entrega à medida que vamos produzindo, para que eles cheguem aos profissionais o mais rápido possível”, ressalta Stephanie.

Ainda de acordo com a idealizadora do projeto, o que vem sendo produzido é possível também graças ao apoio de parceiros, como a Universidade Federal de Sergipe, Universidade Tiradentes, Instituto Federal de Sergipe, Sergipetec e pequenas empresas que se somaram à proposta de colaborar. “Eles fornecem desde matéria-prima, apoio logístico e recurso humano mesmo, cedendo colaboradores”, completa.

Os equipamentos dessa primeira remessa serão utilizados pelos profissionais de saúde que atuam no Hospital Fernando Franco. “Esses protetores faciais vão para a Central de Esterilização e Materiais (CME), que funciona dentro do hospital e serão distribuídos conforme escala de trabalho. Ao final eles serão devolvidos para desinfecção e novo uso em outras escalas”, explicou a enfermeira do Centro de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH/NVEH), Joseane Almeida.