Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Agência Aracaju de Notícias

Público da primeira fase da vacinação contra covid-19 reconhece importância da imunização

19/01/2021 16h20

A manhã desta terça-feira,19, foi histórica para Aracaju e, sobretudo, para as primeiras pessoas a serem vacinadas contra a covid-19 no município. Isso porque, após a cerimônia de abertura da primeira fase de vacinação realizada pelo Estado, a Prefeitura de Aracaju iniciou, no Hospital Fernando Franco, a campanha de imunização na capital sergipana, coordenada pela rede municipal de saúde.

“Estou muito feliz, bem lisonjeada de ter sido escolhida como primeira pessoa vacinada aqui no Fernando Franco, um momento muito esperado, principalmente para nós, que estamos desde março, na linha de frente, enfrentando todas as dificuldades e lidando com perdas. Foram momentos bem delicados, principalmente no meu caso, que lido com crianças. A gente se sensibiliza muito, acaba se envolvendo com as famílias e sofre junto. Acredito que com a vacina, essa pandemia está próxima do fim. Eu acho que é só o começo, espero que tenhamos bons resultados”, afirmou Juliana Nogueira, médica pediatra do Hospital Fernando Franco, após receber a primeira dose do imunizante aplicada pela rede municipal de saúde de Aracaju.

A primeira remessa da CoronaVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan, em parceria com o laboratório Sinovac Biotech, chegou à capital sergipana na noite desta segunda (18). Das doses enviadas para Sergipe, 21.878 foram destinadas a Aracaju.

De acordo com o Plano de Vacinação elaborado pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS), devem receber a primeira dose da vacina, nesta semana, 10.939 mil aracajuanos, entre trabalhadores da saúde, que estão na linha de frente do enfrentamento à pandemia, e idosos que residem em asilos ou abrigos. Estas mesmas pessoas receberão a segunda dose do imunizante de 21 a 28 dias depois.

O prefeito Edvaldo Nogueira explicou que, a partir desta terça-feira, seis equipes de vacinação da Secretaria da Saúde irão aos hospitais, urgências, unidades exclusivas para atendimento de síndromes gripais e asilos para imunizar a população priorizada nesta fase da campanha.

“Fizemos questão que a vacinação da rede municipal começasse pelo Fernando Franco porque é uma unidade que tem um dos principais atendimentos da cidade de síndromes gripais. Neste local, temos profissionais que têm se dedicado com afinco no combate do coronavírus.

Para Edvaldo, o início da vacinação "é o primeiro passo", para que a Prefeitura possa, até o mês de agosto, vacinar cerca de 60% da população. "A Prefeitura está preparada e tenho certeza que estamos dando esse passo que vai nos levar efetivamente à vitória da saúde sobre a doença”, destacou o prefeito.

“Estou muito feliz, aliviada por receber a vacina. É até difícil falar, nesse momento. É muita emoção junta. Há dez meses eu não via a minha família, só pelo celular e, com a vacina, acredito que logo eu poderei ver meus familiares. É muito triste ficar sem visita e estou contente porque isso vai passar”, confessou dona Carmelita Melo, de 93 anos, a primeira a ser imunizada no Asilo Rio Branco.

Foi a técnica em enfermagem Carolina Isabel Santos quem vacinou parte dos idosos do Rio Branco. No momento da vacinação, o semblante, mesmo com máscara, mostrava a satisfação por fazer parte do momento.

“Estou há quase dez anos na área e, pouco antes da pandemia, pensei em deixar a profissão porque já não me sentia satisfeita. Foi quando fui chamada para atuar no Hospital de Campanha e mudou tudo. Vi pessoas morrendo, sim, mas também vi muita vontade em salvar vidas, vi pessoas com esperança na cura e foi tudo isso que me fez continuar. Hoje, participo desse momento tomada de emoção e acreditando em dias muito melhores”, contou a técnica.

Enfermeira do Hospital Cirurgia, Íris Regina Lima também recebeu a primeira dose da CoronaVac nesta terça-feira. Para ela, atuar na linha de frente no tratamento da covid-19" é um divisor de águas, não só na vida profissional como também na pessoal".

"Vivemos momentos desafiadores, que nos exigiu muita segurança no que estamos fazendo. Vimos muitas vidas sendo perdidas, acompanhamos de perto o sofrimento de muitas famílias. Hoje, receber a vacina abre um caminho de esperança, a confiança de que tudo vai melhorar e poderemos voltar ao nosso convívio de antes”, enfatizou íris. 

Para a secretária municipal da Saúde, Waneska Barboza, o início da vacinação, na capital, abre novos horizontes para toda a população aracajuana. “É difícil de descrever participar desta história, de uma situação que estamos vivenciando há mais ou menos onze meses. Agora a gente tem uma ponta de esperança, a gente tem a vacina, e esse momento histórico de vacinar os primeiros cidadãos aracajuanos é extremamente emocionante. Temos mais pessoas para serem vacinadas e agora é lutar para que a maior parte da nossa comunidade seja vacinada e que logo estejamos livres dessa pandemia”, disse.