Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Educação

Pedagogia Griô: Prefeitura promoverá palestra sobre relações étnico-raciais positivas

03/05/2021 15h00

De acordo com a Lei federal 11.645/08, é obrigatória a inclusão no currículo de escolas públicas e particulares o ensino de “História e cultura afro-brasileira e indígena”. E para fortalecer ainda mais este ensino, a Prefeitura de Aracaju promoverá, nesta terça-feira, dia 4, a palestra intitulada ‘Pedagogia Griô e Educação para as Relações Étnico-raciais positivas’, proferida pela educadora Líllian Pacheco.
 
A palestra é destinada a todos os professores da rede municipal de ensino e será transmitida a partir das 14h, pelo canal do Ceafe no YouTube. A iniciativa é da Coordenação de Educação Infantil da Secretaria Municipal da Educação (Coeinf/Semed).
 
“Muitos pesquisadores que trabalham a temática étnico-racial nos lembram que a ausência de uma referência positiva na vida da criança e da família, seja no livro didático ou nas práticas pedagógicas, faz com que, especialmente as crianças negras, cheguem à fase adulta rejeitando sua origem racial que traz inúmeros prejuízos. Deste modo, sabemos que a função social da escola é contribuir para que todas essas crianças e adolescentes construam uma ideia positiva sobre o grupo étnico-racial ao qual pertencem, para que assim possam se orgulhar de si mesmas e de suas origens”, explica a técnica da Coeinf, Diana Viturino.
 
Pedagogia Griô
A Pedagogia Griô é uma pedagogia criada pela educadora Lillian Pacheco, a partir da sua prática pedagógica no projeto ‘Grãos de Luz e Griô, Lençóis Bahia’ e tem como referências pedagógicas educadores e pesquisadores brasileiros da educação biocêntrica, da teoria de Paulo Freire, da educação para as relações étnico-raciais positivas e dissertações acadêmicas que já versam sobre a própria pedagogia griô. 
 
“A ação que estamos promovendo é destinada à comunidade escolar para que todos participem. Existe um ditado africano que diz que ‘é preciso toda uma aldeia para educar uma criança’ e acreditamos nisso. É preciso que toda a comunidade se envolva, conheça essa temática, se comprometa com a luta antirracista, que é uma luta de todos nós. Essa ação é destinada também aos pais e a todos que participam da formação das nossas crianças e jovens”, destaca Diana.