Prefeitura Municipal de Aracaju/SE

Defesa Social orienta sobre medidas preventivas em estruturas residenciais

A Secretaria Municipal da Defesa Social e Cidadania (Semdec), através da Defesa Civil de Aracaju, diariamente, realiza vistorias em construções e estruturas que podem apresentam algum tipo de risco à população. A atuação, nesses casos, tem o objetivo de evitar que as pessoas estejam no local, caso ocorra algum desabamento parcial ou total da estrutura.

Com o intuito de orientar os cidadãos para identificar as patologias de suas residências e agir de forma preventiva, o órgão indica fatores que podem auxiliar na execução de  medidas preventivas. Além disso, ressalta a importância de que haja o contato com Defesa Civil de Aracaju, em casos de emergência, através do número 199.   

Fissuras, trincas e rachaduras

A maioria das patologias que surgem em ambientes residenciais é visível a olho nu.  As mais comuns são as fissuras, as trincas e as rachaduras. Em geral, todas as edificações estão sujeitas aos problemas, seja pela ação do sol, da chuva ou do vento, assim como pelo tempo, ou prazo de validade, do material de construção utilizado, que também sofre um processo de degradação natural com o passar dos anos. Existe ainda a possibilidade de problemas ocasionados por defeitos construtivos.

Para melhor identificação de cada caso o coordenador da Defesa Civil de Aracaju, capitão Silvio Prado, explica que as fissuras são linhas, na espessura de um fio de cabelo, encontradas nas paredes e nas lajes. Já as trincas, são aberturas que ultrapassam a camada de argamassa e permitem que se enxergue o bloco ou o elemento estrutural utilizado na construção daquele imóvel, além de apresentar uma abertura da largura de um bocal de caneta, em geral. Sobre as rachaduras ele destaca que são aquelas que permitem ver do outro lado da edificação, em alguns casos não é possível ver o outro lado, mas se consegue sentir o vento passando pela rachadura.

"Essas patologias são graduais. Na maioria dos casos começam com uma fissura, depois evoluem para a condição de trinca, podendo chegar ao estágio de rachadura. Não necessariamente essa evolução vai acontecer em todas as edificações, mas é importante que as pessoas acompanhem e adotem as medidas preventivas para evitar a riscos", enfatiza o coordenador.  

Quando a fissura, trinca ou rachadura ocorrem no sentindo horizontal ou vertical elas são consideradas patologias mais simples, relacionadas apenas à ligação entre o bloco (tijolo) e a argamassa. Quando essa patologia é inclinada denota-se sobrecarga na construção ou algum afundamento do subsolo, características que indicam que a estrutura pode estar cedendo.

De acordo com o capitão Sílvio Prado, o tipo mais grava entre essas patologias é a rachadura inclinada, pois são as que mais refletem risco de desabamento. "Deve-se entrar em contato o mais rápido possível com a Defesa Civil, através do número emergencial 199, para a realização de uma vistoria. Dessa forma poderemos indicar o procedimento a ser adotado conforme a situação, seja um escoramento, uma reforma na estrutura e, em último caso, interditar o local", informa Sílvio Prado.

Infiltrações

As infiltrações, em geral, acontecem por causa de defeitos construtivos nos quais a impermeabilização não foi feita de maneira adequada. O coordenador da Defesa Civil de Aracaju informa que a água pode se infiltra em qualquer tipo e tamanho de abertura, nas estruturas. "A água tem o poder de carregar elementos de construção, como o cimento e a areia, o que acaba desgastando os elementos estruturais ao longo dos anos", destacou.

Entre os aspectos que podem caracterizar a infiltração está o estufamento da pintura. "Esse fator é provocado pelo processo de evaporação da água que se infiltrou durante as chuvas", explicou Sílvio Prado.  

É importante ressaltar que ao identificar alguma dessas patologias o cidadão precisa buscar o auxílio de um profissional de engenharia, que poderá avaliar as especificidades da situação e preparar um laudo para a reforma.