Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Agência Aracaju de Notícias

Réveillon 2019: Samba do Arnesto leva essência atemporal do samba para o palco

26/12/18 11h00

Dos acordes das guitarras até a harmonia do baixo para o som composto por tamborim, pandeiro, violão, cavaquinho, surdo. Com origem no rock e sob grande influência familiar, em 2012 surgiu a banda Samba do Arnesto, um grupo que traz as raízes do samba para os tempos atuais com uma roupagem leve, mas sem perder as características de um dos ritmos mais populares do país. Formada por Rafael Oliva (voz e violão), Roque Sousa (voz, pandeiro e tamborim), João Alberto (voz, surdo e efeitos), Lucas Matos (cavaquinho, rebolo e pandeiro), a banda será uma das atrações do Réveillon Aracaju 2019. 

À primeira vista, a formação do grupo lembra a de uma banda bem praiana, inclusive, com vestimentas que remetem a uma tarde ensolarada de sábado. É com esta mesma leveza que eles dão o tom da música que, não apenas tocam, mas exalam. Talvez seja exatamente por essa suavidade que o grupo vem ganhando, a cada dia, mais admirados, atraindo, principalmente, um público jovem que, através das apresentações da Samba do Arnesto, ecoa e fortalece o samba de raiz. 

É como um encontro de gerações que começa no palco e se propaga entre o público. Essa mistura do tradicional com o atual vai ser vista na Orla da Atalaia, na noite da virada, e a expectativa é a melhor possível. “Somos uma banda de apenas seis anos e já tocamos tanto por esse estado que, a cada novo convite, nos sentimos mais lisonjeados, ainda mais um evento como o Réveillon promovido pela Prefeitura. É uma honra e alegria imensas. Somos acostumados a frequentar esse evento como cidadãos, mas, como banda, será a primeira vez que vamos tocar para um público tão grande. Recentemente, tivemos a experiência de tocar no Festival de Artes de São Cristóvão, mas, creio que o Réveillon é ainda mais abrangente e, podem ter certeza, levaremos o melhor que temos para o palco”, ressaltou um dos fundadores da banda, Roque Souza. 

Para levar as boas energia para o novo ano, a banda se apresentará com uma composição maior do que a formação de costume. “Será um show bem completo. Costumamos tocar com cinco pessoas, dessa vez serão oito ou nove. Vamos colocar clássicos do samba e estamos apostando também nas nossas canções autorais. Vamos adicionar mais instrumentos como flauta, trompete, saxofone, tudo para passar o melhor para a plateia”, destacou João Alberto. 

Tendo como inspiração e referência nomes como Noel Rosa, Wilson Batista, Cartola, Dona Ivone e tantos outros grandes do samba, além de bandas locais como Mestre Madruguinha, o grupo promete contagiar o público. “O samba é muito democrático e tem uma história de resistência com a qual nos identificamos e muita gente por aí também se identifica. Queremos levar esse espírito global do samba para o palco e também nos preparar para os projetos do ano que vem. Temos em mente um disco para o que vem e, acredito que teremos ótimas energias na virada de 2018 para 2019”, frisou Rafael Oliva.