Prefeitura Municipal de Aracaju/SE
Planejamento e Orçamento

Seplog reúne sindicatos e esclarece medidas para evitar desassistência aos servidores

15/03/19 18h20

Diante do impasse sobre a renovação do convênio de assistência à saúde dos servidores com o Ipesaúde, o secretário municipal do Planejamento, Orçamento e Gestão, reuniu, como tem feito nos últimos dias , mais um grupo de dirigentes sindicais das categorias profissionais da administração municipal para explicar as razões de recusa da proposta apresentada e, ainda, quais as medidas para evitar que os servidores fiquem desassistidos caso o convênio não seja renovado. A reunião ocorreu no final da manhã desta sexta-feira, 15, no gabinete do secretário.

Participaram dessa rodada os dirigentes do Sindicato dos Agentes de Endemias (Sacema), Sindicato da SMTT (Sintaju), Sindicato dos Médicos (Sindimed), Sindicato dos Assistentes Sociais de Sergipe (Sindasse) e o Sindicato dos Empregados da Administração Indireta de Aracaju (Seame).

O secretário Augusto Fábio mais uma vez evidenciou os dados correlatos à proposta do Ipesaúde e a ausência dos números relativos à composição do reajuste proposto, bem como da contraproposta enviada na última quinta-feira, que concede 20% de desconto sobre a proposta original por seis meses e, após esse prazo, a aplicação do reajuste integral. “Mesmo a nova proposta apresentada pelo Ipesaúde continua inviável do ponto de vista financeiro tanto para os servidores, quanto para o tesouro municipal. Ainda aguardamos a extratificação dos números que levaram a esse vultoso reajuste. Como o prazo contratual limite para a renovação é 31 de março, já iniciamos uma prospecção de mercado com outras operadoras de saúde que atuam em nosso estado e iremos convocar todas as lideranças sindicais para uma avaliação conjunta. Vamos tomar todas as medidas para que os servidores não fiquem desassistidos”, salientou o secretário.

Ação conjunta

Para o presidente do Sindimed, João Augusto de Oliveira, é importante conhecer toda essa problemática que envolve a elevação de custos para o servidor e para a Prefeitura de Aracaju. “É importante esse papel da administração em mostrar transparência e nos convocar para acompanhar a questão, com a busca de valores de outras operadoras. Também apresentamos uma proposta que prevê a reversão dos valores da parte patronal para criar um auxílio para o servidor escolher o convênio que melhor lhe convier. Essa também é uma ideia que poderemos amadurecer”, opinou João Augusto.

Já o presidente do Sacema, Vinícius Ribeiro, avalia a proposta do Ipesaúde como absurda. “Avaliamos que esta é uma situação complexa diante da intransigência do Ipes. Eles precisam compreender que a tabela que está posta é impraticável e totalmente inviável para os servidores. Consideramos que a reunião foi produtiva e necessária para nos esclarecer sobre a questão, aglutinando as lideranças sindicais na busca da solução desse impasse”.

Já na próxima semana, ainda de acordo com o secretário Augusto Fábio, após a produção de um estudo de impacto sobre todas as propostas enviadas pelas operadoras privadas de saúde, as lideranças serão novamente convidadas para, se não houver avanço nas negociações com o Ipesaúde, se buscar outra alternativa.